READING

Around the World | Ressonancia, São Paulo

Around the World | Ressonancia, São Paulo

Around the World é a nossa coluna sobre as principais festas do Brasil e do mundo.

Por Chico Cornejo

Uma das mais expressivas presenças no cenário Techno paulistano, a festa Ressonancia sempre primou pela variedade em seus line ups e abrangência em sua proposta. Contando até esta próxima edição que se realizará no final de agosto, o projeto trouxe a seus palcos de Doctor Dru a Magda, passando por uma ampla gama de expoentes do gênero de todas as partes do mundo, como Audiojack, Âme, Luca Agnelli, Karmon, Matador, Sebastian Légér e Marc Romboy. Uma paleta sonora que engloba desde os ritmos mais duros e conceituais até os ganchos melódicos mais amigáveis que atualmente ajudam a expandir o mundo do Techno para além de seu nicho.

Mas, este sequer poderia ser considerado o diferencial numa cena tão dinâmica como a de São Paulo, na qual o influxo de artistas globais já é uma constante há mais de duas décadas e o teor novidadeiro dessa prática já se diluiu na normalidade. O que acaba por destacar as iniciativas pensadas pela dupla formada por Guss e Minoru é a incansável preocupação de congregar uma seleção de talentos nacionais que seja tão expressiva quanto a de convidados internacionais. Assim, até aqui eles colocaram de Gui Boratto e Cashu a Victor Ruiz a Gabe, entre tantos outros luminares da eletrônica brasileira, diante de um público ávido não apenas por dançar, mas por ser embalado por sofisticados dispositivos de mobilidade corporal e imerso na cultura que eles mobilizam e da qual se nutrem.

Esse ímpeto é justamente o que trouxe a cada evento um esforço para que a experiência transcendesse o espaço da pista e levasse os presentes a outros momentos que compõem esse universo cultural. Foi aí que introduziram diversas atividades cuja finalidade mais direta era instruir, mas que ajudaram a estreitar a relação entre artistas e público, até ali sempre mediada pela performance. Workshops e palestras formaram esta frente que permitiu aos fãs e aprendizes de produtores renomados como L_cio, Gui Boratto e Âme, por exemplo, compreenderem melhor e participarem de seu processo criativo.

Nada modesto para um projeto que acaba de entrar em seu segundo ano de existência com uma bela trajetória para exibir e ainda mais novidades para anunciar nesta edição que será sua sétima e uma das mais cosmopolitas até então. Trazendo ao Village Canindé a filha mais polonesa de Detroit, a soberba Magda, o mais barceloneta dos brasileiros no Techno, Wehbba, a mais brasileira na tradição austríaca de mulheres fortes, a divertidíssima Joyce Muniz, os germânicos mais engraçados do Techno, a dupla Monkey Safari, e o mais finlandês das novas promessas do gênero, o jovem Yotto, além dos residentes e pilares do coletivo, Minoru e Guss. Mais informações aqui:

++ Entrevista com Monkey Safari
++ Entrevista com Yotto
++ Entrevista com Wehbba
++ Entrevista com Joyce Muniz

A MÚSICA CONECTA. 


Equipe de reação do portal Alataj, focada em levar conteúdo cultural ao público antenado na música eletrônica.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS