A partir de hoje no Alataj você passa a acompanhar a coluna Art in Action. Nela, transformaremos os personagens principais de grandes obras de arte da história em DJs e figuras da dance music. Começamos com a obra American Gothic do pintor americano Grant DeVolson Wood.

Grant DeVolson Wood foi um pintor americano que viveu entre os anos de 1891 e 1942. Ele ficou conhecido por representar a vida rural americana através de suas obras. Sua família mudou-se para Cedar Rapids em 1901, após a morte de seu pai. Lá ele conciliou durante algum tempo os estudos e o trabalho de aprendiz numa loja de ferramentas. Na década de 20 fez quatro viagens à Europa, onde pode estudar diversos estilos de pintura, principalmente o Impressionismo e o Pós-impressionismo. Foi o trabalho de Jan Van Eyck que mais o influenciou, através dele, Wood incorporou uma nova técnica que o tornou conhecido mundialmente.

A obra American Gothic foi pintada em 1930. É um óleo sobre tela que atualmente se encontra no Art Institute of Chicago. Na pintura, Wood representa uma simples casa de campo, com estilo neogótico que o impressionou. Os modelos para pintura foram sua irmã e seu dentista, reproduzidos como um pai e uma filha de meia idade. Por ter sido pintada em 1930 (pós crise de 29 nos Estados Unidos), a obra pode transmitir os sentimentos da Grande Depressão, período no qual muitos agricultores foram expulsos de suas terras e obrigados a se juntarem aos desempregados na cidade.

Com a obra, Wood foi acusado de satirizar os naturais de Midwest, mas o artista afirmou que tinha feito o quadro como uma homenagem a dignidade puritana que ele encontrava na América das pequenas cidades. Grant DeVolson Wood foi um dos expoentes do Regionalismo, uma forma de Realismo comum nos EUA. Em “American Gothic” ele incorporou as linhas rígidas, firmemente modeladas e inspiradas nos mestres primitivos do Renascimento que Wood estudou na Europa durante os anos 20.

Há mais de 70 anos que a obra é fortemente utilizada em sátiras e releituras. Agora chegou a nossa vez. Escolhemos dois ícones da cena Techno da Suécia, Adam Beyer e Ida Engberg que assim como os moradores de Midwest carregam em sua história as características de um estilo bastante peculiar. A releitura que você confere abaixo ganha o nome de “Swedish gothic techno”. A arte foi desenvolvida pelo designer gráfico Vinicius Custódio, brasileiro que atualmente reside em Camboriú. Ele será o responsável por comandar os trabalhos dessa nova coluna.

Gostou da novidade? Então não esqueça de seguir o Alataj no Instagram, as obras serão sempre postadas lá em primeira mão. A música (e a arte) conecta as pessoas!