Case | Future Classic

O que falar de um selo que tem em seu casting artistas do calibre de Chet Faker, Flume, Panama, Hayden James, Joakim, Francis Inferno Orchestra, Red Axes, Tiger & Woods, Tornado Wallace e Tigerskin? A australiana Future Classic ostenta esse time e outros super nomes que não estão nessa lista, mas seu grande mérito vai muito além disso.

Administrada na ponte aérea Sidney/Los Angeles, a FC é responsável por alavancar um estilo eletrônico que flerta abertamente com o new pop e o indie. A marca é uma das poucas que entrega um gerenciamento 360 para o seus artistas, algo que vai além do lançamento e também engloba gerenciamento de carreira e distribuição musical. Apesar de seu perfil sonoro ter muito das duas cidades onde o trabalho é baseado e desenvolvido, o principal objetivo da Future Classic é o desenvolvimento de seus artistas a nível global: montar carreiras sustentáveis a longo prazo.

Dentro desse panorama, Chet Faker e Flume podem ser apontados como dois grandes cases de sucesso – os dois produtores tiveram suas carreiras totalmente transformados com o trabalho da gravadora. A sala de troféus da FC é gigante e conta com 41 indicações e 21 conquistas do prêmio ARIA, além de um Grammy, entregue para Flume em 2017 – em 2011 o produtor australiano assinou como primeiro artista de management da marca.

No dia 19 de Abril foi lançado Sleepless, um documentário que traz a história da Future Classic e conta como um selo australiano e independente passou a ocupar papel de destaque no mercado fonográfico internacional. Sem dúvidas, uma história inspiradora para todo e qualquer talento que nesse momento esteja conduzindo uma jornada musical fora da caixa.

A MÚSICA CONECTA. 


Alan Medeiros é publicitário, sócio-fundador do Alataj e nome por trás da Beats n' Lights Management.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS