Case | Unknown to the Unknown

Bom gosto e um olhar bastante aguçado para novidades caracterizam o trabalho do britânico DJ Haus. Seu selo Unknown to the Unknown, é tão famoso quanto seu programa de rádio na Rinse FM, local perfeito para ele testar algumas de suas tracks e explorar ainda mais esse seu lado descobridor e explosivo.

O Unknown to the Unknown além de selo, também é uma espécie de pseudônimo para algumas produções do DJ. Bem verdade que ele não lança nada com tal nome desde 2011, talvez por conta do sucesso e dos caminhos que seu label tornou. O catálogo da Unknown to the Unknown conta com um histórico absolutamente invejável para todo e qualquer label de house do mundo. Apenas para citar alguns dos mais recentes: Mall Grab, Shadow Child, DJ Boring, Ejeca e Matrixxman. Isso sem entrar no mérito dos excelentes lançamentos de Daniel Avery, Radio Slave, Ryan Elliott, Livio & Roby, Legowelt e do lendário DJ Stingray.

Outro ponto muito forte do label é a identidade musical. Focada no house, mas sem dispensar pitadas de acid e uma construção que lembra faixas de breakbeat – em alguns casos – ela tem feito a cabeça de muitos diggers ao redor do globo. O próximo release do label é a 10ª da compilação Dance Trax, que dessa vez ganha a luz do dia com com 2 faixas originais de Redlight e remixes de Totally Enormous Extinct Dinosaurs e Marquis Hawkes. O trabalho da gravadora tem impulsionado a carreira do excelente DJ Haus que nas próximas semanas tem uma agenda de compromissos confirmados na Inglaterra, Bélgica e França. Se você curte house music e aprecia artistas capazes de se comunicar musicalmente de uma forma diferente, é altamente recomendável acompanhar o trabalho da Unknown to the Unknown.

A MÚSICA CONECTA.


Alan Medeiros é publicitário, sócio-fundador do Alataj e nome por trás da Beats n' Lights Management.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS