READING

Heroes | Goiânia: Alex Justino

Heroes | Goiânia: Alex Justino

Goiânia é uma é uma cidade que apesar de não ser exatamente um polo de música eletrônica, possui uma cena saudável, com muitos artistas talentosos e boas iniciativas dentro e fora da pista. Dentro deste contexto, Alex Justino pode ser considerado um herói local, principalmente por conta de seu trabalho sólido com a Nin92wo e os eventos assinados pela gravadora, como Shadow e Lost and Found.

Sua carreira na música eletrônica começou ainda muito cedo, com apenas 18 anos. Impactado pelo circuito de eventos que existia na região, Justino passou a consumir gêneros como techno, house, drum n bass e até mesmo psy trance em festas grandes que eram concentradas nas mãos de 2 ou 3 produtores de evento locais. “No início eu acompanhava muito a Pulse (e sua festa externa ao club, Mega Pulse), e tentava sempre ir lá, mesmo não tendo a idade necessária para entrar. Muitas vezes dava certo.” confessa Alex.

A cultura rave no estado sempre foi muito forte, fator esse que chamou a atenção de marcas como XXXPerience para realização de eventos na região. Outras raves locais como a Jeroky também se destacaram produzindo eventos que marcaram toda uma geração. Algum tempo depois o Club Fiction exerceu um papel importante no meio artístico da cidade, inclusive para carreira de Alex, que teve por lá sua primeira residência. Mais ambientado frente a realidade local, Justino idealizou sua própria festa no House Garden. “Foi sucesso por alguns anos, sempre as quartas. Após essa fase, comecei a organizar alguns eventos no Club Fiction e em 2011 iniciei meu evento fora, que se chamava Deep Loop” nos conta o DJ e produtor goiano. Desde então, AJ ainda criou a ON! antes de dar foco total as festas ligadas a Nin92wo, que quando somadas resultam em mais de 50 edições até aqui.

A imagem pode conter: 1 pessoa

Sobre as principais dificuldades enfrentadas ao longo do caminho, Alex relata: “No início era difícil mostrar minhas idéias, por ser muito novo, as pessoas não davam a devida confiança necessária ou até mesmo deixavam de apoiar”. Com o passar do tempo, Justino foi ganhado representatividade na cena e os problemas passaram a ser outros, principalmente ligados a burocracia. “Cheguei a ter evento fechado, com alvará certo, pois poucas semanas antes o diretor do órgão responsável tinha sido demitido por corrupção e o novo queria mostrar para sociedade que estava fazendo seu trabalho”. Tempos sombrios para dance music em Goiânia e que quase afastaram Alex em definitivo dos eventos.

Nenhuma descrição de foto disponível.

Hoje, consolidado como um dos principais players do techno no âmbito nacional e buscando uma ascensão internacional, Justino olha com tranquilidade e orgulho para o que foi construído junto a cena de Goiânia: “Vejo que meu trabalho representou bastante para varias pessoas”. Os planos para futuro incluem ações que visam a evolução do cenário artístico da cidade, com uma projeção estimada de quase 20 eventos para 2019, incluindo Shadow, Lost and Found e 92/Dox, versão pocket do showcase de sua gravadora apresentada na Dox Store. “Meu principal plano é fazer com que a cena cresça com sustentabilidade e força” finaliza Alex Justino.

A MÚSICA CONECTA.


Alan Medeiros é publicitário, sócio-fundador do Alataj e nome por trás da Beats n' Lights Management.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS