Na última semana São Paulo e Curitiba receberam pela primeira vez o DJ set do produtor Antigone (nós falamos um pouco sobre ele aqui). O jovem francês é um dos nomes efervescentes da atual cena techno e tem conquistado o suporte de grandes artistas e o carinho do público desde que começou a lançar suas produções, há mais ou menos uma década.

Aliado a produção musical, Antigone apresenta um algo a mais na discotecagem por conta de sua incessante pesquisa e compra de discos, algo que realmente faz dele um vinyl lover. Antoni (seu nome de batismo) também mostra-se preparado para fornecer diferentes emoções ao dance floor e mantém suas ações enquanto DJ em caráter sincero e autêntico.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu e chapéu

Aproveitando sua passagem pelo Brasil, pedimos para Antigone compartilhar conosco como foi sua primeira experiência como DJ profissional. Então, voltaremos alguns anos para relembrar essa história agora.

Com a palavra, Antigone:

Dentro do que consigo me lembrar, minha primeira gig foi no palco onde hoje possuo minha residência: Concrete Paris, há 6 anos. Lembro de ter passado 2 semanas me preparando, selecionando os melhores discos e todas as faixas que eu considerava as melhores. Eu estava muito ansioso, pois nunca tinha tocado em um soundsystem tão potente quanto aquele antes. O show era numa manhã de domingo, lembro que antes de tocar minhas mãos estavam tremendo muito e eu até vomitei um pouco. Mas, depois da primeira faixa, tudo desapareceu e eu sabia: a partir daquele momento, era isso que eu queria pra minha vida. Agora, após alguns anos, toda experiência adquirida com as viagens me dão muita força e a maneira como eu toco mudou muito. Naquela época, eu tocava sem ter um plano, agora eu sempre tento elaborar meu set e contar uma história para a pista.

A música conecta as pessoas!