A Discotech estreou hoje no Beatport como uma label. É mais um importante passo na consolidação da marca que nos últimos anos tem feito um trabalho de base forte para a cena.

Idealizada por DJ Glen, a label party nasceu apostando na ainda pequena cena nu disco de 2010. De lá pra cá muita coisa mudou. A festa que acontece no interior de São Paulo apostou em uma fórmula de sucesso no Brasil e no mundo. A união de conceito musical com a proximidade a natureza foi uma das bandeiras levantadas pela Discotech que aos poucos foi se tornando referência para os artistas e principalmente para o público, que começava a conviver com uma cena cada vez mais sólida.

Depois do sucesso das edições open air, a Discotech invadiu as paredes dos clubs. Em parceria, realizou edições no Anzu, Club 88, Cave e até uma edição internacional em Dublin. Passaram pelo palco da Discotech nomes como Lee Foss, Justin Martin, Danny Daze, Miguel Puente e uma série de artistas regionais e nacionais de grande qualidade.

Agora a Discotech vai das pistas para o mundo, mas de um forma diferente. A marca deve atingir os dancefloors mais importantes da cena através de seu selo musical, o Discotech Music. Para a estreia, um EP de 2 originais de seu idealizador, DJ Glen.

“Superdisco” e “Perrengue Freaky” são as duas músicas que compõe o trabalho. A primeira track inclusive leva o nome do EP. Ambas possuem uma levada irreverente, típica de Glen. É nítido como o produtor soube usar diferentes influências para construção do EP, que sem sombra de dúvidas registra um começo empolgante para a gravadora.

Ouça os previews