READING

Nas profundezas do Seas: conheça a história do núc...

Nas profundezas do Seas: conheça a história do núcleo

A frase é clichê, mas não deixa de ser verdade: a música eletrônica tem passado por um intenso processo de transformação, principalmente se tratando do cenário underground. Aqui no Brasil, por exemplo, estamos vendo surgir nos últimos anos um grande número de núcleos e label parties que usam de todas as suas forças para entregar ao público uma experiência musical inovadora, mostrando que não apenas as grandes festas  são capazes de oferecer uma boa experiência.

Foi a partir dessa visualização de mercado que Higor Nezello deu início ao que hoje é uma das melhores opção de entretenimento para os clubbers do Sul do Brasil, principalmente os catarinenses, estado onde nasceu a Seas. “O núcleo surgiu entre ideias e amigos que acreditavam ser possível expor pensamentos e atividades num coletivo familiar, trazendo a essência do litoral, do mar e muitas alegrias não apenas no formato festivo, mas unindo diferentes experiências durante todo o processo”, disse Nezello, que já participa ativamente da cena há quase 10 anos. 

A Seas conquistou um espaço na agitada vida noturna de cidades como Balneário Camboriú e Itajaí, onde estão localizados alguns dos melhores clubs do mundo, como Green Valley e Warung Beach Club, responsáveis por darem ainda mais força para núcleos como a Seas. “Clubs e labels se completam. Apesar de sermos nômades e não termos uma ‘casa’, escrevemos nossa história com muito amor, assim como eles. Estamos aqui para colaborar com o mercado e com a trajetória desses e de outros clubs da região”, contou. 

Sempre com ideias criativas, as primeiras festas começaram a rolar no início de 2017 e o público já se mostrou bem apto para descobrir o que de fato era a Seas. “No início sempre nos encontrávamos para expormos a real importância e identidade do projeto: família”, lembrou Nezello. Segundo ele, hoje essas ações conjuntas ainda são mantidas para que, independente do crescimento da festa, a essência familiar se mantenha. “É uma tarefa bem difícil, mas não impossível”, completa. 

No decorrer dos anos, o projeto itinerante já recebeu em sua cabine nomes nacionais e internacionais bastante relevantes para a indústria mundial, indo do house ao techno. Entre os headliners destacam-se Ryan Elliott, YokoO, Santé, Hector Couto, Phonique, Victor Ruiz, Albuquerque, Ney Faustini, Boghosian, Kaká Franco e muitos outros, isso sem nunca deixar de lado os artistas locais e do núcleo que diariamente ajudam no processo evolutivo da festa.

Hoje, após mais de dois anos e meio como head da Seas, Nezello comemora os mais de 30 eventos já realizados até aqui e olha com bastante otimismo para o futuro do núcleo, prometendo novidades que no momento certo serão reveladas. O próximo capítulo dessa história acontece no dia 13 deste mês com o Seas Festival, primeiro evento do projeto neste formato que, na ocasião, reunirá 15 DJs nacionais distribuídos em 3 pistas pelo Espaço Garden, em Camboriú.

Estão confirmados nomes como DJ MURPHY, HNQO, Anhanguera, Aninha e Gromma, além de uma exposição gráfica assinada pelo Alataj que mostrará a evolução da música nos últimos 3 séculos. Todos os detalhes dessa festa especial você confere aqui.

A música conecta. 


RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS