READING

Perguntamos a cinco mulheres qual brasileira mais ...

Perguntamos a cinco mulheres qual brasileira mais inspirou sua carreira

No Dia Internacional da Mulher, vale a reflexão sobre questões importantes da nossa sociedade. Respeito e igualdade de gêneros precisam ser assuntos recorrentes, principalmente em ambientes que ainda são predominantemente dominados por homens – como é o caso da cena de dance music brasileira e mundial.

++ Ouça o álbum Beautiful, da brasileira Erica, lançado ontem 

Na esfera internacional, algumas mulheres tem roubado a cena nos últimos anos e mostrado o caminho para aquelas que estão começando e seguem na luta em busca de um lugar ao sol. The Black Madonna, Nastia, Nina Kraviz, Nicole Moudaber e tINI, são apenas alguns bons exemplos desse movimento, que também é muito forte aqui no Brasil, graças a presença de mulheres admiráveis, que com talento e muita dedicação, tem tornado a cena brasileira um lugar mais criativo, próspero e sustentável.

++ Relembre a passagem de Amanda Mussi pelo podcast Troally

Como o reconhecimento é um dos pontos de partida para que possamos construir uma cena ainda melhor e realmente igualitária, convidamos cinco mulheres (quatro brasileiras e uma serva) para responder a seguinte pergunta: Qual mulher brasileira mais inspirou sua carreira? Confira as respostas abaixo:

Arjana Jonsson 

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo

Acho super importante valorizar o trabalho feminino dentro da nossa indústria, tanto agora, quanto em todos os dias do ano. Estamos sentindo que as mulheres estãoo unidas, prontas, talentosas, omnipresentes, mostrando toda sua luz e capacidade.

Eu vim da Servia, 5 anos atrás com bagagem anterior, trabalhando para o Exit Festival , na área de marketing. Desde que cheguei achei o mercado brasileiro super interessante, cheio de fusões sonoras inesperadas e com grande potencial. Depois de algum tempo eu tive oportunidade incrível de começar a trabalhar para grupo D-EDGE, aonde hoje trabalho como Relações Publicas e Internacionais. Durante este período, uma das minhas maiores influencias femininas do país, sem duvida  foi Eliana Iwasa. Ela sempre me inspirou com sua força, profissionalismo, espírito empreendedor e poder de reinventar-se, principalmente por estar no mercado por há muito tempo. Ela serve como inspiração para todas as mulheres como artista, como sócia do Club 88 com seu grande carisma e os frutos de seu trabalho são mais que merecidos.

A imagem pode conter: 1 pessoa, oceano, atividades ao ar livre e água

A segunda mulher que eu gostaria de mencionar é a Monique Dardenne, com qual entrei em contato alguns anos antes da fundação do WMC, cujo poder para lutar pela causa certa é incrível e serve como inspiração para todas nós. O trabalho dela com grande iniciativa de reunir todo o potencial feminino do pais e algo extraordinário e desejo que continue da mesma forma e ainda com mais força no futuro.

A imagem pode conter: 3 pessoas

Barbara Boeing

A imagem pode conter: 3 pessoas, área interna

Há cerca de 10 anos, Aninha foi a minha professora nas aulas de DJ da escola Aimec. Na verdade, eu conhecia ela pelo Warung e outra festas e já adorava a elegância que ela trazia para as pistas. Por muitos anos, ela foi alguém quem me influenciou a ter disciplina pra aprender a mixar 100% como ela faz. Se algum dia eu tiver metade da técnica que ela tem, eu já estarei feliz!
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
Bruna Calegari
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up e atividades ao ar livre
Nunca tinha parado pra pensar em como esta mulher teve uma influência sobre quem eu sou hoje – na cena, como ela mesma dizia [risos]! Erika Palomino foi o primeiro exemplo de mulher cool, segura e com propriedade pra falar da noite paulistana e seus personagens. Ela inventava gírias, circulava por vários rolês e trouxe uma visão bem feminina da noite, pra mim.
Resultado de imagem para Erika Palomino
Kisy Momoli
Resultado de imagem para kisy momoli
Alicinha Cavalcanti foi um nome que sempre me inspirou. Iniciou seu trabalho na década de 80, foi uma das primeiras profissionais nesse segmento e até hoje é altamente prestigiada e reconhecida pelo seu impecável trabalho. Atualmente, também respeito e admiro muito a carreira de Carol Sampaio, que além de promover eventos de grandes marcas, criou produtos próprios de sucesso.
Resultado de imagem para Alicinha Cavalcanti
Maria 
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, listras e noite
Como DJ quero citar a que, sem duvida, mais admiro e nem precisei pensar muito quem seria quando recebi o convite para participar dessa matéria. Para mim o grande e sólido nome em ascensão entre as mulheres DJs do nosso país, Tati Pimont. Colecionadora de discos, pesquisa afiada, humilde e sempre muito boa onda seja dentro ou fora da cabine, aliando técnica e profissionalismo. Ela é uma DJ completa, que a torna um exemplo de algo que inclusive já havia falado aqui sobre a questão que não é o gênero que define onde e se você vai tocar, e sim o seu trabalho feito com comprometimento e qualidade. É a guria que você respeita, Tati é música boa sempre
A imagem pode conter: 1 pessoa, noite e área interna
Claro que outras mulheres incríveis poderiam estar contribuindo para essa matéria, convidamos 12, mas tivemos a resposta de apenas 5 delas, algo totalmente natural em virtude da agenda corrida e repleta de compromissos que cada uma dessas figuras possui. Essa matéria serve apenas como um pontinho de reconhecimento em meio a grande transformação que cada uma dessas pessoas incríveis que foram citadas fizeram e estão fazendo pelo nosso mercado.
Ahh, vale lembrar que ainda no mês de março rola a primeira edição do WME, conferência formada apenas por mulheres que irá debater o mercado musical brasileiro em São Paulo. Clique na imagem para mais informações:
Nenhum texto alternativo automático disponível.
A música conecta as pessoas! 

Alan Medeiros é publicitário, sócio-fundador do Alataj e nome por trás da Beats n’ Lights Management.

RELATED POST

INSTAGRAM
SIGA-NOS