Certamente você tem algum que começou a ir para rave antes que você e agora pula várias festas por medo de encarar a ressaca no domingo – ou na segunda. Esse monstrinho nada mais é que uma resposta do seu corpo para a intoxicação causada por substâncias que te tiraram do estado de plena consciência na última noite.

O fígado é o que mais sofre. Ele é o responsável por produzir as enzimas que absorvem o etanol. Acontece que ele demora a entender que precisa parar de trabalhar no modo bêbado. Isso acaba gerando um desequilíbrio em nosso corpo que afeta também o sistema nervoso.

No caso de substâncias como MD e cocaína, que agem diretamente no sistema nervoso central é um pouco diferente. O cérebro acaba liberando altas doses de serotonina e endorfina e os dias que sucedem o uso podem representar um período de ausência dessas substâncias no organismo, provocando uma “ressaca moral” daquelas.

Não há remédio ou substância 100% eficaz na cura da ressaca, mas há maneiras de aliviar os sintomas. Ingerir bastante liquido talvez seja uma das mais conhecidas. Água, sucos e até mesmo os refrigerantes – que possuem muito açúcar – são capazes de auxiliar o fígado no processo de desintoxicação.

Os analgésicos pouco podem fazer, em geral eles só ajudam a diminuir o mal-estar. Ter uma alimentação rica em glicose contribui, já que esses alimentos auxiliam na reposição do açúcar no organismo e trazem mais energia ao corpo.

Afters infinitos são a pior das escolhas, já que a intoxicação do seu corpo tende a aumentar cada vez mais, tornando a ressaca cada vez maior. Portanto, além de paciência para esperar o pior passar, é preciso ter consciência para saber a hora de parar.