De surpresa. Assim veio a notícia da volta do Sonar ao Brasil, da mesma forma em que seu cancelamento foi feito em 2013, alegando instabilidade no mercado financeiro do Brasil. A edição brasileira desse ano deve ocorrer entre os dias 23 e 28 de Novembro, mas ainda não há informações oficiais sobre o retorno. Elas deverão vir em breve, com um anúncio oficial.

Original da Barcelona, o festival de música avançada já esteve em São Paulo em duas oportunidades, 2004 e 2012 e foi responsável por trazer artistas como Kraftwerk, Justice, Mogwai, Flying Lotus, Criolo e James Blake.

Levamos o título da matéria até artistas e profissionais do mercado, para entender um pouco mais sobre o que representa a volta do festival ao Brasil.

Bruna Calegari – Hot Content
“Para o público é uma vitória: um festival incrível que apresenta música verdadeiramente conceitual e sem barreiras de estilos. E para o mercado significa hora de arejar: se foi constatado que um festival com foco no novo e no conceitual tem espaço para ser realizado no Brasil novamente, quer dizer que o público está pronto, portanto espera mais das nossas instituições.”

Alexandre Albini – HOUSE MAG
“O retorno do Sonar é algo extremamente positivo, especialmente para o público fiel das sonoridades ditas conceituais e experimentais, que estavam órfãos de um evento do gênero desde a última edição ocorrida em 2012. Além de um espaço para a troca de informações e fomentador de cultura, traz ao Brasil pela 3ª vez um pouco da vanguarda da música eletrônica mundial. Fico feliz por isso e farei o possível para poder prestigiar esse ano.”

Nato Medrado – Medrado Music
“O festival é um dos mais tradicionais e importantes do mundo em termos de musicalidade. O Brasil e a cena só tem a ganhar com a volta do evento. É sempre bom ver festas que trazem grandes artistas mundiais para se apresentar aqui em nosso país.”

Flavia Rauen – funQe
“Reconhecimento da cena eletrônica brasileira, isso que significa para o mercado e o público, esse respeito pelo Brasil e o que ele esta se tornando é muito especial para todos, um festival desse nível, desse conceito musical voltar para ao nosso país é ver os empresários envolvido nessa área com os olhos voltados ao nosso país, ver que aqui o cena tem muito a crescer e o público merece um evento desse porte.”

DJ MUGS – Music Matters
“Para o mercado, o reconhecimento do Brasil como uma super potência no panorama da música eletrônica mundial. Para o público, a oportunidade de se educar. O Sónar em Barcelona a muitos anos é um evento caracterizado pela eximia seleção de novos e velhos talentos, artistas que seguramente têm uma palavra a dizer no futuro da musica eletrônica.”

Eduardo Roslindo – detroitbr
“A volta do Sonar ao Brasil significa uma série de benefícios artísticos para o mercado, bem como para um público que não tem muitas oportunidades de vivenciar experiências que compõe o meio cultural em que acreditam. É de extrema importância que eventos como esse façam parte do calendário brasileiro, para que possamos ter futuras mudanças de paradigmas, que diversifiquem o nosso habitual.”

Marcelo Madueño – 6Beat Under
“A volta do Sónar ao Brasil tende a sinalizar uma melhoria no humor do mercado de entretenimento do país. Isso fica evidente pela crescente procura de festivais internacionais em terem seu espaço por aqui. O mercado local é muito grande e os brasileiros viajam muito ao exterior, o que também aumenta a procura do público pelas suas edições originais.

Com tantos eventos no calendário, é necessário que os organizadores ofereçam experiências cada vez mais diferenciadas ao público. O Sónar tem essa característica em seu DNA, possuindo uma curadoria artística que visa ditar tendências e apresentar as maiores inovações em sistemas de som, iluminação e, claro, música. O público só tem a ganhar com o Sónar… e o mercado também.”

BLANCAh – Steyoyoke
“Ultimamente no Brasil temos visto muitos festivais de musica eletrônica sustentados apenas por djs e cenografia. O Sónar aparece no nosso horizonte como um oásis pois é um festival que já nasceu com o intuito de ser diferente dos demais festivais de musica eletrônica. Tanto é que este titulo “musica eletronica” nem se encaixa muito bem na hora de definir o Sónar, e penso que é isto o que faz dele um festival tão especial. Este para mim é o melhor momento para artistas e entusiastas locais se inspirarem e absorverem o que há de mais interessante nesta junção entre musica contemporânea, arte e tecnologia. Outra característica que me agrada é o espaço que se abre para conhecermos artistas emergentes pois em geral no Sónar há bastante espaço para eles. Para mim que como dj sou parte operante do mercado, e ao mesmo tempo sou publico, o festival significa um momento de extrema inspiração. Espero poder absorver tudo o que me interessa nesta edição de 2015 para com isso agregar valor ao meu próprio trabalho.”

Rodrigo S – Wobble
“Muitos festivais estão acontecendo no Brasil, mas nem um com o cuidado e a curadoria do Sónar. Para o publico é a possibilidade em escutar, assistir e até conhecer o que vem acontecendo de mais relevante na musica eletrônica produzida hoje. Para o mercado é ainda mais importante, Sónar aponta para as novas tendências, donos de Clubs, promoters, Djs e interessados tem que ficar ligados. Lição de casa obrigatória.”

Bernardo Ziembik – Terraza BC
“Quando saiu a notícia, fiquei surpreso, pois, em 2013, segundo a organização, o motivo do cancelamento foi “a dificuldade e a instabilidade do mercado de entretenimento no Brasil”. Sendo essa informação verdadeira, em 2015, acredito que o desafio seja muito maior, pois vivemos um cenário econômico e político em crise.
Ao mesmo tempo, meu desejo é que seja um grande sucesso e que torne-se um evento anual no nosso calendário, pois, esse é o tipo de acontecimento que trará desenvolvimento, tanto para o público quanto para os organizadores de eventos no Brasil. Minha expectativa será principalmente para saber o line up, o formato que será o evento e como será o engajamento do público.”