Porto Alegre além de ser capital do seu estado é um lugar que do seu próprio jeito recebeu, percebeu, digeriu e inseriu a música eletrônica nos seus espaços da sua própria maneira. Em convergência com núcleos existentes em outras cidades do interior do estado, a cidade virou o berço de DJs que atingiram projeção nacional e internacional, a cultura DJ foi fomentada e aperfeiçoada em cabines de casas noturnas. Depois de alguns anos com uma baixa nessa movimentação toda Porto Alegre parece retomar um caminho interessante em direção a um cenário novo, com vários núcleos atuantes.

Veja bem, a capital gaúcha foi ponto de partida para uma juventude inquieta (como muitas) que encontrou na cultura raver e na cultura DJ uma forma de se expressar mais plenamente. O club Fim de Século, grande caldeirão desse momento anterior, foi uma base sólida para os profissionais da época, como os renomados Fabrício Peçanha e Eduardo Herrera, mas também de nomes locais como Rafael Malhão e Deborah Blank, e também o saudoso JZK, que hoje em dia além de DJ equipa as festas de Porto Alegre com equipamento de alta qualidade.

Deborah Blank na Disc-O-Nexo

Depois de nos anos 90 vivenciar um cenário pulsante e ser a escola de muitos, o novo século foi aos poucos perdendo esse fôlego todo e em meio a modernidade surgiram infinitos novos estilos musicais, diluindo tags, público, e artistas em um caldo que vem engrossando. Os núcleos de hoje são multifacetados e compostos pelos mais velhos e pelos mais novos. Caras como Gabriel Cevallos, trazem para a cidade o Festival Kino Beat, que através de parcerias apresenta atrações nacionais e internacionais. A galera da Vorlat faz festas em locais inesperados, na rua ou não, e também trabalham sua identidade visual de maneira instigante. O coletivo Arruaça trabalha nas ruas e quer que você se questione sobre o espaço público e a sua utilização, também trazendo atrações e selecionando boa música. A Base PoA é outra festa que reaviva a cultura DJ, bem como a galera do Sentando A Lenha, a Disconexo ruma para os seus 10 anos de cultura viva na cidade, a Levels traz eventos maiores mas com line ups refinados, e olhando de fora parece que podemos pintar um novo quadro de Porto Alegre. Não se tem mais aquele inferninho específico para se consumir uma cultura underground, mas sim uma multiplicidade de opções para um público mais uma vez sedento por música boa e por cultura.

Nesse processo, a figura da AIMEC segue sendo fundamental, assim como historicamente sempre foi a Pulsar, que estará representada na conferência por Marcelo Nunez. Fora da cidade, marcas como a Beat On Me,  Cave e Colours (Caio Busetti estará presente no painel RS EM FOCO) desenvolvem um trabalho sólido, que também influencia direta ou indiretamente a cena na capital, além de servir como modelo para novos projetos que nascem na capital. Na parte de imprensa, temos o apoio especial do Portal Underground e do Fly By Night, grandes incentivadores da música eletrônica no estado. Quem cola junto na também é o pessoal da ONNi, novo app que visa acabar com as filas nos clubs e festivais.

São novos tempos e precisamos refletir sobre os diversos aspectos dessa movimentação que vem há tempos fazendo de Porto Alegre um polo de música eletrônica no país. Neste sábado dia 03 acontece a Alataj Conference na Fundação Iberê Camargo. Serão 3 painéis com presenças confirmadas de Zopelar, James Camargo, Eduardo Ramos da Believe Digital, Deborah Blank, Felipe Johann, entre outros que irão discutir assuntos atuais e trazer suas experiências para que público e mercado possam evoluir.

Resultado de imagem para fundação iberê camargo

Para nos ajudar nessa empreitada contamos com parceiros que acreditam na iniciativa e estão nos ajudando para trazer o melhor que podemos a Porto Alegre. A festa Levels é uma das parceiras e vem trabalhando em várias frentes para que a música eletrônica continue viva na capital gaúcha, trazendo agenda de clubs, artistas e festivais no Brasil e no Mundo. No dia 04 você pode curtir a Levels Sunset, party oficial da conferência, na Ilha do Pavão trazendo o live do Rodriguez Jr, além de Leo Janeiro, Karsten John, Bernardo Ziembik, e o duo Olivers.

A After Music & Clothing também abraçou a ideia e vem com a experiência de fazer o mundo da moda e o mundo da música serem um só, com coleções interessantíssimas e temas relacionados ao techno e a house music. A Vodka Vorus chega junto trazendo o refinamento das bebidas que circulam em copos de um sem fim de eventos. E por último mas não menos importante a Believe Digital, líder em diversos países na distribuição de música pela via digital e com uma articulação atual e moderna, trazendo novas ideias e a experiência de lidar com mudanças constantes, na pessoa do Eduardo Ramos em um dos painéis. A música conecta as pessoas!