Claude VonStroke, Justin Martin, Green Velvet, Eats Everything, Will Clarke, Sonny Fodera, Shiba San. Se você foi em alguma festa nos últimos 10 anos, provavelmente dançou ao som de uma das faixas da lendária label californiana, Dirtybird. O selo, comandado pelo barbudo gente fina Claude VonStroke revolucionou a forma como as gravadoras trabalham na relação entre o mundo digital e o universo real e se tornou um dos principais cases de sucesso da cena house no século XXI.

A Dirtybird saiu dos computadores e sites de venda de música digital para se tornar parte do cotidiano das cidades, com ações que incluem BBQs (churrascos), festas ao ar livre de graça e até mesmo Camping de férias. O espírito visionário da marca fez com que ela tivesse um time de artistas muito bem definido, sem a presença de brasileiros por quase 10 anos. Na compilação que celebrou uma década de história, um jovem produtor paulista quebrou o tabu e cravou a bandeira do Brasil em uma das gravadoras mais aclamadas do mundo: Bruno Furlan assinou a faixa “Blow minutes” e mostrou seu cartão de visitas ao mundo.

Depois disso, sua história passou a ser conhecida por cada vez mais pessoas. Bruno entrou para o casting de artistas da Entourage e abriu a porta para que outros produtores nacionais lançassem pelo selo. Seu mais recente trabalho é o EP “K.O.” que traz 3 faixas originais e foi indicado por VonStroke como um dos releases mais quentes de 2015.

Para celebrar a boa fase da carreira e seu aniversário, conversamos com Furlan, que de quebra nos presenteou com um mix exclusivo de 3 horas. Vamos ao que interessa?  A música conecta as pessoas!

PS: As perguntas foram feitas pelo DJ, produtor e grande amigo da crew, Nato Medrado.

1 – Bruno, vamos começar falando sobre suas influencias. Fale mais sobre quais seus produtores favoritos e quais artistas te inspiram na hora da produção.

Primeiramente gostaria de agradecer, a rica oportunidade de realizar essa entrevista!
Todos temos aqueles artistas que, mexem com nossos ouvidos, que nos deixam arrepiados, enfim… VonStroke, Justin Martin, Green Velvet, Lee Marrow, Technotronic, Dj Marky, German Brigante, Kyle Watson, Will Clarke, Metodi Hristov, Amine Edge & Dance, são algumas das minha maiores influencias! Gosto muito de ouvir, sempre são sons inovadores e incríveis. Mas quando o assunto é fazer o som, minha inspiração são meus ouvidos.

2 – Muitos produtores tem como preferencia produzir na madrugada, outros preferem o clima agitado de uma metrópole. Você tem um horário ou lugar que gosta mais de produzir? Como funciona seu processo criativo?

Engraçado isso, eu costumo produzir de dia! Praticamente todos os dias da semana. Como não tenho estúdio nem quarto, costumo produzir no chão, na cama, enfim onde calhar [risos]. Quando as ideias surgem não podemos deixar escapar, seja onde for, ou como for. Minha nova track “Airport” eu produzi no Aeroporto de Londrina, entre 5am e 10am, cochilando em cima do Mac sozinho no aeroporto. Se a musica te agrada, e você gosta do que você produz, lute por isso!

3 – Você conseguiu criar uma identidade bastante representativa para suas produções. Como você definiria seu som?

TORTO! Não sigo padrões. Sei que não é certo ignorar escalas e notas, tons e etc, mas o que é certo? Um som que te agrada e todos gritam? Ou um som padrão ? Facam suas escolhas, eu ja fiz a minha 😀

4 – Bruno, um dos fatores responsáveis por alavancar sua carreira em 2015, foi o relacionamento com a Dirtybird. Conta pra gente como começou sua relação com a gravadora californiana.

Foi tão surpreendente para todos, quanto pra mim. É uma das melhores labels underground do mundo, o delay de respostas é gigante, por ser tao concorrida, mas vale a pena toda espera e sacrifício para agradar o titio Vonstroke. O Claude adora meus sons, ele mesmo disse na descrição de meu ultimo EP: É um som esquisito, estranho… E isso me agrada! Fazer parte deste time é uma honra pra mim. Não vejo a hora de comer hambúrguer e bacon Californiano.

5 – Qual é a importância de estar presente em uma gravadora de tamanha expressão e o que isso representa na carreira de um artista?

Como explicar essa chuva de sentimentos? É um sonho! É um furacão de incentivo, de motivação, estar ao lado dos melhores do mundo é surreal, é como dar uma Ferrari a um garoto de 20 anos [risos]. Representa tudo! Sua postura, seu impacto na cena, o tamanho da bandeira que você carrega, o time que representa, seu nível de produção, enfim… TUDO.

6 – Conte mais sobre seu ultimo trabalho lançado com eles o EP K.O.

O EP K.O foi uma surpresa! Não imaginei que haveria outro lançamento na label nem tão cedo. Desde a minha primeira track lançada por lá – “Blow Minutes” – achei que o chefe ficaria mais exigente e foi exatamente o que aconteceu. Ele queria sempre mais, explorava outros gostos meus. Até que criei algo torto, estranho, mas muito groovado e forte. É um conjunto de elementos que se torna indescritível. Isso no ringue, é K.O!

7 – Sabemos que você faz parte do casting de uma das mais importantes agência de DJs do Brasil a ENTOURAGE. Como foi seu contato com eles e qual a importância de fazer parte de uma grande agência?

O contato sempre foi de fã, jamais imaginei fazer parte deste time tão forte. Acreditaram em mim, me olhavam sempre de longe, mais ao mesmo tempo de perto, decidi esperar. Até que o telefone tocou e minha vida mudou de vez. Me sinto em casa, família reunida, não me canso de agradecer a Deus e a todos da Entourage por acreditarem no meu trabalho! <3

8 – 2015 foi um ano de virada na sua vida profissional. É possível destacar qual foi o ponto mais importante para que tudo isso acontecesse?

De uns tempos pra cá, a cada final de semana se torna sempre “O melhor dia da minha vida” Já perdi as contas de quantas coisas inacreditáveis aconteceram. O ponto mais importante sem sombra de duvidas, é fazer tudo com o maior amor do mundo. Tanto produzindo, quanto tocando, ou conversando com os fans. Essas são minhas maiores alegrias! Não há amor maior, o reconhecimento é inevitável. Desde a Kaballah, Vonstroke me trazer uma camiseta, ver meus ídolos tocarem musicas minhas, dividir os decks com Amine Edge & Dance & Du Serena na Anzu Club, tocar Novamente na Kaballah e estar presente em varias edições, todos gritarem e cantarem FAFAFA. A cada final de semana me surpreendo mais com tudo!

9 – E para 2016? Quais os próximos passos que você pretende dar em sua carreira e o que podemos esperar do Bruno Furlan?

Muitos sons doidos, inovadores, surpreendentes, novos HITS. Rock, Florest, Bossy, Airport, Red Alert, Marshmellows… (Guardem Esses Nomes)! Grandes collabs, grandes labels, grandes lançamentos. Dirtybird, CUFF, This Aint Bristol, Bunny Tiger, Kyle Watson, Tapesh, Chemical Surf, Dough English, The Cool Cats, Nick Olivetti, Gabriel Boni. Não posso prometer os melhores sons do mundo, mas prometo os sons feitos com maior amor do mundo.

10 – Para finalizar, gostaríamos que você deixasse uma mensagem e uma dica para os produtores que estão começando agora. Muito obrigado!

Sou Bruno Furlan, Tenho 20 anos, completo 21 anos dia 20/01. Moro na ZL de SP, não tenho quarto estúdio, nada! Se você começou agora, ouve muitos nãos e esta difícil… Vá em frente! Você esta no caminho certo! Um dia um SIM, mudara sua vida. Use tudo que tiver para conseguir realizar seus sonhos, seja um Windows ou um Mac, um fone profissional ou de celular. O que é impossível para você? Se eu cheguei la, todos podem chegar. O impossível não existe! Você já é um vencedor. Obrigado Alataj!

Conecte-se com o Soundcloud do Bruno Furlan