READING

Alataj entrevista Fabiano Zordan [Acústica Design]...

Alataj entrevista Fabiano Zordan [Acústica Design]

Se você trabalha com alguma das frentes da produção musical ou é amante/curioso por este universo, com certeza já ficou impressionado com imagens de estúdios e salas de mix e master que surgem por aí. Ambientes às vezes rústicos, às vezes arrojados, às vezes completamente bagunçados, mas sempre com a identidade do seu dono, seja quanto aos equipamentos, seja quanto ao design. 

Esses espaços contam com um trabalho de tratamento acústico apurado para que o músico possa captar da forma mais cristalina possível os sons que saem através dos monitores. E é aí que entra a Acústica Design, empresa brasileira que projeta ambientes que exigem audição crítica como home-studios, estúdios profissionais de mix/master e gravação/locução, salas de ensaio, clubs, dentre outros espaços. 

+++ Audição é o instrumento de trabalho do músico. Leia o que a fonoaudióloga Andrea Soares falou sobre o assunto.

Fundada por Fabiano Zordan, que a gente conhece como Propulse, a empresa tem uma longa história e um excelente currículo no mercado. Sendo assim, fugindo um pouco do formato tradicional da nossa coluna Papo de Estúdio, a gente traz pra vocês uma entrevista com a mente por trás da Acústica Design para nos contar um pouco mais sobre esse projeto. Confira!

Alataj: Olá, Fabiano! Tudo bem? Obrigado por nos atender. Como exatamente surgiu seu interesse pela estruturação de estúdios profissionais? Você fez algum curso ou sua jornada na música foi o que serviu de base para obter os conhecimentos necessários?

Fabiano Zordan: O interesse vem de longa data, desde 1996, quando eu entrei no mundo da produção musical. Eu tinha mais 3 sócios e queríamos ter um estúdio para poder trabalhar. Não havia muita informação na época e o que eu conseguia chegava através das revistas gringas Sound on Sound , PROAudio por exemplo, e também de livros que haviam disponíveis já que a internet ainda estava começando.

Na mesma época fiz o curso de áudio com Marcelo Claret, que é proprietário do IAV. Após o curso fiz estágios específicos além de acompanhar a construção dos estúdios da Jovem Pan e Paradox Music onde vi a aplicação do conhecimento que eu estava adquirindo. Em 1999 um dos meus sócios foi para NY estudar no SAE Institute quando ele voltou me passou muita informação, então decidi ir logo na sequência, em 2001 e aproveitamos para visitar alguns estúdios por lá para ver como eram feitos.

Com o passar dos anos montamos alguns estúdios para nós mesmo até que em 2008 tive a oportunidade de fazer um grande investimento e criamos a Transmit Music que era a nossa produtora de áudio para mixagem, masterização e gravações. Esse estúdio foi praticamente o meu TCC onde apliquei todo o conhecimento que eu havia acumulando e lá tivemos um ótimo resultado, que serviu como porta de entrada e showroom da Acústica Design.

Poderia citar pra gente alguns dos estúdios preferidos que você já projetou? O que exatamente torna cada projeto especial?

Estúdio Nascer Do Som em Holambra: Foi um projeto do zero. O cliente tinha um terreno o qual pude dimensionar as salas da melhor forma possível. A sala de gravação conta com pé direito de quase 5 metros criando uma ótima ambiência.

Estúdio Nascer do Som

Estúdio Indústria da Música: Quando podemos quebrar as paredes e redimensionar a tamanho da sala, o resultado final fica incrível. 

Estúdio Árvore dos produtores Flow e Zeo: Eles queriam aproveitar a visual externo da natureza. O design da sala tem vários cortes da estrutura das paredes que mesclam com painéis e difusores mantendo uma ótima acústica apesar da quantidade de vidros.

+++ Conheça o Estúdio Árvore de Flow & Zeo

Estúdio ASS do André Salata: Construído em um prédio comercial o qual ele pode trabalhar o dia todo sem problemas. A acústica ficou muito boa, já foi visitada por diversos produtores que adoraram o resultado final.

Estúdio Andre Salata

No que diz respeito a tecnologia, quais novidades tem mudado o mundo dos estúdios nos últimos anos?

Na área da isolação, a barreira acústica qual antes era aplicada apenas na indústria automobilística e naval agora pode ser aplicada nos estúdios também. Alguns materiais importados como greenglue já temos disponível, a lã de PET que tem um ótimo resultado de absorção e é um material reciclado. 

Na parte de tratamento ainda é algo que precisa ser feito artesanalmente pois não existem muitas opções por aqui.

De uma forma geral, há alguma mudança necessária entre estúdios de produtores com diferentes estilos musicais?

Sala de Mix e Master é igual pra todos os estilos, é onde o engenheiro de som tem que ter precisão e fidelidade acústica para que o resultado do trabalho soe bem em todos os lugares. Já as sala de gravação exigem algumas variáveis dependendo do tipo de instrumento e captação.

Estúdio Gabriel Boni

Para finalizar, deixe uma dica para quem está começando a montar seu próprio estúdio agora. Obrigado!  

Muita gente vem me procurar quando já está no meio do caminho e acaba tendo que desfazer ou jogar material fora. Meu conselho é faça devagar com um projeto em mãos para seguir. Mesmo que você não possa fazer tudo de de uma só vez, ter um projeto para seguir vai te ajudar muito a economizar tempo e dinheiro.

+++ Mais conteúdos sobre produção musical você encontra aqui!

A música conecta.


Alan Medeiros é publicitário, sócio-fundador do Alataj e nome por trás da Beats n' Lights Management.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS