Cravado em um paraíso clubber catarinense, o Hakkô já nasce com o peso da tradição de estar situado no mesmo local aonde funcionou o Bali Hai durante anos. Entretanto, é justo falar que toda história do club de verão que eternizou noites memoráveis em Porto Belo no começo do século está sendo redesenhada pelo novo conceito do Hakkô, uma das poucas baladas brasileiras que apostam suas fichas no formato sunset.

A imagem pode conter: nuvem, céu, planta, árvore, atividades ao ar livre e natureza

Ao que tudo indica, o club será um open format. Ou seja, além da música eletrônica, uma programação com outros estilos musicais também deve marcar presença por ali. Entretanto, a dance music estará constantemente representada, inclusive na abertura: Gabriel Boni, Future Class e Slow Motion são os headliners do primeiro sunset do Hakkô, que rola nesse fim de semana. Saiba mais aqui:

Visando os desdobramentos que o mercado da música eletrônica pode ter em virtude da abertura da casa, convidamos Sérgio Cabral Jr., um dos sócios do Hakkô, para uma entrevista exclusiva com assuntos relacionados aos desdobramentos possíveis dessa nova história de um dos lugares mais bonitos da Costa Esmeralda catarinense. Vem ver como ficou:

1 – Olá, Sérgio! Tudo bem? É um prazer falar com você. Durante anos o El Fortin permaneceu como um club regionalmente forte. Agora, é possível dizer que a marca do club é conhecida internacionalmente. Como foi esse processo de transformação?

O prazer é todo nosso Alan! A transformação foi estrategicamente lapidada durante esses 12 anos, sabíamos que iria levar anos para conseguirmos alcançar um patamar dessa altura, mas nunca desistimos. Acreditamos que alguns dos principais pontos para essa evolução foram de alguma forma, os patrocinadores, os ideais que sempre cultivamos e o principal de todos, o amor incomparável do nosso público, o qual mantemos uma conexão muito próxima até hoje.

2 – Um dos grandes pontos do trabalho desenvolvido por você e seus sócios é a fidelidade em relação aos ideais do club, que mesmo após temporadas de sucesso, continuam intactos. Quão importante isso é para o cotidiano do El Fortin?

Antes de qualquer coisa, nós sempre prezamos pela música, não é a toa que nosso slogan é: Sem rótulos, sem preconceitos, apenas amor a boa música. Nossas raízes vieram do high bpm, estilo qual permanece conosco até hoje e sempre permanecerá. A Black Tarj hoje em dia – nossa pista dedicada a essa vertente – é uma label com reconhecimento nacional, onde é inacreditável o amor que o público tem por esta pista!  Nosso Mainstage sempre acompanhou as tendências do mercado das vertentes. Nos sentimos orgulhosos por sempre ter dado oportunidades aos artistas locais, onde em todos esses anos, já exportamos nomes que hoje em dia estão entre os melhores do Brasil. E não paramos por aí, aqui vai uma notícia de primeira mão: em Setembro, no nosso aniversário de 12 anos, estaremos inaugurando nossa mais nova pista, chamada: ORIGINS. Stage que será dedicado apenas a DJs e produtores locais ou iniciantes, para que tenham uma oportunidade de mostrar seu trabalho. O El Fortin tem certeza que há muitos talentos escondidos pela nossa região e acha que chegou a hora de descobrir esses prodígios.

3 – O Hakkô, novo club de Porto Belo, é sediado no lugar do icônico Bali Hai. Estruturalmente falando, quais são as principais modificações que o público pode esperar em relação a antiga casa situada lá?

O público pode esperar algo totalmente diferente, nosso objetivo foi executar um projeto inovador, tornando-se assim o primeiro Sunset Club de Santa Catarina.

4 – Após o evento de inauguração, quais serão as próximas festas de música eletrônica apresentadas no Hakkô?

Por momento, temos confirmado Alok para o dia 12 de Outubro, e teremos uma outra no dia 09 de Dezembro, artistas serão confirmados em breve.

A imagem pode conter: nuvem, céu, montanha, atividades ao ar livre e natureza

5 – Qual o conceito principal do club? Há algum trabalho que serviu de inspiração pra vocês até aqui?

O conceito do club é de um espaço multi eventos, onde haverão DJs, shows de todos os gêneros musicais e também eventos paralelos, como formaturas e casamentos.

6 – Ao compararmos o presente com 2007, quais são as principais diferenças do mercado de entretimento do litoral catarinense?

No passado as festas eram mais no estilo open air e não havia uma frequência muito intensa, era uma festa consideravelmente grande a cada 2 meses mais ou menos. Hoje em dia com a migração do open air para clubs, só na nossa região praticamente existe uma festa grande com o mesmo potencial toda semana.

7 – Para finalizar, uma pergunta pessoal. O que a música representa na vida de vocês?

Representa o trabalho, arte, amor e amizade, pois sem a música com certeza a vida seria um pouco sem graça.

A música conecta as pessoas!