Mesmo que todo o lado musical fosse um completo desastre, a noite do dia 11 de Junho já seria histórica para o Warung simplesmente pelo frio que fez na Praia Brava. O club que é um dos símbolos do verão catarinense, celebrou uma noite de muito techno e temperaturas baixíssimas – na madrugada chegou a fazer 4 graus. Cabia as atrações da noite tornar a tarefa um pouco menos ingrata e assim eles fizeram.

Antes de falar do desempenho de cada um dos envolvidos na noite, é necessária uma contextualização histórica referente a apresentação de Marcel Dettmann no Warung. Ano passado, o ícone do techno alemão teve seu nome confirmado na programação do club. Sem um grande motivo aparente, essa apresentação foi cancelada, causando um acúmulo de energia ainda maior do que o já existente para sua enfim estreia esse mês. O line up do pistão ainda contava com dois artistas brasileiros com conhecimento de pista suficiente para criar uma atmosfera ideal para entrada do residente o Berghain.

Gromma | João Paulo Gromma é um residente extra oficial do Warung. Com diversas apresentações durante o ano, ele é reconhecido como um dos DJs de maior capacidade para construção de bons warm ups e dessa vez não foi diferente. O curitibano entregou um set absolutamente dentro da proposta da noite com elegância, seriedade e coerência com o que viria a seguir. Era o começo ideal de uma noite que ainda traria fortes emoções.

Wilian Kraupp | Se algumas pessoas contestavam a diferença de estilo entre Kraupp e Dettmann, certamente se surpreenderam com a apresentação do catarinense. Wilian conseguiu mesclar de forma inteligente o estilo característico de suas produções e DJ sets, com a identidade musical do alemão. O resultado foi um mix que conseguiu manter um bom número de pessoas na pista, mesmo com Carl Craig tocando no Garden.

Marcel Dettmann | Em tempos onde tanto se discute o papel dos DJs em uma noite, Marcel Dettmann nos mostrou a razão pela qual esses personagens realmente podem fazer a diferença. Em um público onde fãs de seus trabalho e pessoas que não estão acostumadas a intensidade de seu estilo se misturavam, ele se impôs dede o início e com uma intensidade impressionante conquistou o pistão do Templo na noite mais fria do ano até então. Um set enérgico, com algumas boas poucas variáveis para momentos mais leves, introspectivos e até mesmo melódicos. A resposta do público não poderia ter sido outra: grande receptividade do começo ao fim. Dettmann saiu do Warung muito mais forte do que entrou e isso representa um ponto importante para a cena techno catarinense e até mesmo nacional. A porta para que outros artistas de seu estilo cheguem aqui e causem boas impressões está aberta e não deve se fechar mais tão cedo.

Garden | Por conta do frio arrebatador, passamos a maior parte do tempo no Inside. Ainda assim, conseguimos acompanhar boa parte do set da lenda de Detroit, Carl Craig. O americano fez um bom set, com boas escolhas e repertório variado entre house e o techno. O único porém, foi a sensação de dejá vu para aqueles que o assistiram em Janeiro no Inside ou até mesmo em outras recentes apresentações no Brasil.

Olhos e ouvidos atentos para o próximo sábado, que marca o retorno de Guy J ao Warung. Além dele, também teremos a estreia de Coyu – big bossa da Suara – no Garden. Pelo jeito, mais uma grande noite está a caminho. A música conecta as pessoas!

Fotos por: Gustavo Remor e Ebraim Martini