Particularmente eu estava bem animado para a primeira noite de carnaval do Terraza, assim que soube que Sonja Moonear seria a headliner da noite. Muito curioso para ver o que era capaz uma das mulheres que se apresenta tocando no formato b2b com Ricardo Villalobos em vários festivais mundo afora. Já escutei e toco muita coisa dela, o que no fim se tornou mais viver a noite com um ídolo do que simplesmente assistir um DJ.

Nos encontramos com ela algumas horas antes, na sexta mesmo, para jantar. Ela na presença do marido e filha, sempre engraçada, conversando sobre muitas coisas com todos a mesa, ao mesmo tempo uma artista internacionalmente famosa, uma mãe e esposa atenciosa.

Já no Terraza, Ricardo Lin fazia o warm-up da noite para a dupla brasileira Renato Cohen e Mau Mau, que fizeram o que sabem fazer melhor, colocaram a pista para dançar muito. Mas como ainda era começo de noite, muitas pessoas chegando, eu não consegui ficar concentrado no dancefloor por muito tempo durante a apresentação deles. Entretanto, é sempre bom tê-los em nossa cabine, pelas pessoas maravilhosas que são.

Chegada as 3 da manhã, Sonja assume os decks, logo na primeira hora ela mantém o que Mau e Cohen estavam apresentando anteriormente, Techno mais rápido com viradas curtas, na segunda hora ela começou a puxar discos, não conseguia identificar o nome de nenhuma das faixas (infelizmente) mas o set não oscilou em momento algum, apenas variava minimal, tech-house e techno com uma levada bastante orgânica e algumas coisas mais antigas. O que me chamou atenção mesmo, foi a presença dela ali tocando, muito diferente do Petre Inspirescu (que acompanhei começo do ano), que tem um ar muito mais fechado e vazio. Ela tem uma aura completamente diferente, respondendo a minha pergunta, porque ela é tão querida no meio da galera do Ricardo. Moonear passou as quase 4 horas de set sorrindo em todos os momentos, simpática com todos que estavam na frente da cabine. O som cativava, mas ela muito mais.

Foi mais do que simplesmente assistir um DJ, como disse anteriormente, é poder presenciar um ídolo, que provavelmente eu demoraria muito tempo para ver aqui pelo sul. Além da técnica, sutileza, uma mulher fantástica que vou admirar como DJ e pessoa a partir de hoje cada dia mais.

A música conecta as pessoas! 

Fotos: Caio Graça