Após um hiato de dois anos, finalmente teremos Tribaltech novamente. A edição Escape do festival acontece esse fim de semana e ao que tudo indica, deve ser o capítulo final de uma trilogia iniciada em 2014, antes de uma nova pausa, necessária para dar sustentabilidade ao evento e fôlego aos organizadores.

Essa edição está prometida como a maior e mais surpreendente da história da marca pela própria organização e motivos não faltam para acreditarmos: pela primeira vez a montagem do evento está sendo realizada em um local dentro de Curitiba (não na região metropolitana, como de costume), diversas vertentes musicais foram incluídas na programação e um timaço de artistas nacionais e internacionais (muitos fora do óbvio) estão confirmados.

A imagem pode conter: árvore, céu e atividades ao ar livre

Encaramos a difícil missão de listar 5 razões pelas quais você não deve perder a edição 2017 Escape da Trilbatech. Caderninho na mão que algumas dicas preciosas estão a caminho:

Headliner | Quando anunciado, a nova locação da TT foi considerada o grande headliner dessa edição. Todo festival será montado em uma antiga fábrica, desativada a anos e toda reformada e ambientada para receber o festival. Quem esteve presente no DGTL São Paulo pode esperar uma atmosfera semelhante. Pressão total!

Ritmos | Artistas com potencial para criar atmosferas conectadas a house music, batidas provenientes de diversas partes do mundo e ritmos orgânicos estão confirmados na TT. Organic Beat, Supercool Stage, Dub Corner e Timetech são alguns dos palcos que receberão atrações do nível de Criolo, Selvagem, Francesco Del Garda e Ion Ludwig.

All day long | Essa edição da TT será apresentada em um horário diferente do que o público está acostumado e seguindo uma tendência já utilizada por outros big festivais ao redor do globo. Das 10h de sábado até as 4h de domingo, tempo de sobra para o público aproveitar uma experiência all day long, com começo, meio e fim.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, sapatos e atividades ao ar livre

Brasileiros em ação | Parte do que nossa cena tem de melhor estará em ação na Tribaltech. Desde nomes experientes e acostumados com grandes festivais, como Renato Ratier, Leo Janeiro e Eli Iwasa, passando pelos artistas de maior ascensão da atualidade, como Victor Ruiz e BLANCAh, até nossos novos talentos, nomes do calibre de tarter e Barbara Boeing – todos reunidos no mesmo evento.

Gringos | Como de costume, a TT sai na frente no que diz respeito a curadoria e apresenta uma leva impressionante de nomes que representam o passado, presente e futuro da dance music. Octave One, Daniel Bell, Margaret Dygas e Stephan Bodzin são apenas alguns dos presentes na edição “mais incomum” da história do evento.

A música conecta as pessoas!