A edição 27 Troally tarda mas não falha. Diretamente de Curitiba a dupla Compend assina o podcast de hoje. O set foi gravado no Warung Day Festival e reflete bastante a identidade da dupla, que é uma das maiores promessas da cena curitibana. Se ajeita na cadeira aí, por que vem coisa boa a seguir. Além do set, aproveitamos para fazer uma entrevista com a dupla.

1-Quando e como rolou a paixão por música Eletrônica com vocês?

Aconteceu em 2011, quando começamos frequentar mais a cena da música eletrônica, indo a clubs e festas. Logo então, um de nós comprou um mixer e um par de cdj. Com o equipamento em casa, tínhamos compromisso marcado praticamente todas as tardes e a partir disso surgiu a vontade de trabalhar com a música, não apenas escutá-lá como lazer.

2-O Compend tem menos de 1 ano e vocês já tocaram em lugares aclamados por muitos dj’s, como por exemplo Club Vibe e a recente data no Warung Day Festival, como que foi esse crescimento rápido em tão pouco tempo?

A oportunidade que nos deram em estreiar o projeto no Club Vibe foi única e acreditamos que a chance de estar no Warung Day Festival é sinal de estarmos no caminho certo. Apesar do projeto não ter completado um ano ainda, nós nos conhecemos desde a infância e resolvemos mixar juntos desde 2012. Essa afinidade, na nossa opinião, foi decisiva para o desenvolvimento do Compend.

3-Próxima data de vocês é no Club Vibe novamente tocando ao lado de Shadow Movement, dois da nova geração ai de produtores e djs do Brasil, assim como vocês. O que vocês estão achando dessa nova geração que vem conquistando espaço no meio de vertentes tão pouco escutada entre o grande público?

Achamos incrível acompanhar novos talentos surgindo, impondo e defendendo sua identidade dentro da e-music, sem se preocupar em agradar a grande massa do público, mas sim tocando um som único e com harmonias bem trabalhadas.

4-Hoje em dia a produção musical é um grande e importante diferencial na vida de um dj, vocês pensam em produzir? Como estãonessa fase de criação?

Com toda certeza, pretendemos nos aprofundar cada vez mais no assunto, até alcançar a sonoridade desejada. Porém, no momento estamos muito focados em pesquisas de músicas e já temos em vista tocar com vinil.