O jovem produtor catarinense Luc Vaarin já pode ser considerado uma das grandes revelações da música eletrônica brasileira em 2015. Figura carimbada do circuito de festas independentes de Floripa, ele lançou seu EP de estreia pela Alaplay Records. Em seguida, tomou vôos mais altos e conquistou seu espaço na disputada D-EDGE RECORDS. Além do release no VA da gravadora paulistana, Luc também se apresentou na festa D-EDGE REVOLUTION, em São Paulo. Atualmente ele segue trabalhando em novas produções e encontrou um tempo para gravar um mix exclusivo para a Troally. Música de verdade por gente que faz a diferença.

1 – Olá Luc! Muito obrigado por falar conosco. Em sua bio você cita ser um músico por formação. Como isso te ajudou na carreira eletrônica e quais instrumentos você toca?

Olá! Primeiramente obrigado pelo convite e parabéns pelo trabalho no qual vocês vem realizando, sem pessoas como vocês seria tudo bem mais difícil. A musica sempre esteve presente na minha vida, o primeiro instrumento no qual eu dominei de verdade foi a guitarra. Logo após, fiz o curso de técnica vocal aplicada ao canto popular ministrado pelo professor Ariel Coelho na Opus-Centro Cultural. A grande diferença é que quando você já tem o conhecimento teórico musical, sobre notas e como são montadas e complementadas a produção fica mais pratica e gostosa. Hoje vejo minha plataforma de produção como a minha guitarra, sabendo o que tenho que fazer pra extrair cada timbre. Além de dominar a guitarra e técnica vocal, tenho conhecimento de contra-baixo, piano, bateria e por ai vai.. Qualquer instrumento que jogarem na minha mão, tentarei extrair alguma sonoridade.

2 – Vamos falar um pouco sobre seu EP de estreia pela Alaplay Records. Como foi todo processo de criação?

O EP estava pronto havia um tempo e estava buscando uma plataforma para lançar, foi quando conheci e me identifiquei com o RANE e decidimos que ele faria a collab em “Outside” e o Club Mix de “Lost Sound Dosage”. Fiquei muito feliz com o resultado final.

3 – Depois de seu EP “Outside”, você emplacou a faixa “Promises” no VA da D-EDGE Records e em seguida tocou no club também. Conte um pouco de como foram essas experiências junto a uma das maiores marcas de música eletrônica no mundo.

Acho que estes acontecimentos pra mim são a maior prova de que as famosas “panelas” são muito relativas. Todo mundo me pergunta muito como consegui fazer isto em tao pouco tempo de carreira e aqui vai a resposta: Da forma mais natural possível. Antes de lançar a musica no VA, eu não conhecia ninguém da D-EDGE e não foi algo por indicação ou por “conhecer as pessoas certas”. Simplesmente enviei a demo por e-mail, eles aceitaram e lançaram. Espero que isto sirva de experiencia para quem tem potencial e não corre atrás por achar que sem conhecer ninguém não vai acontecer. Tentar, não custa nada e o não todos nós já temos. Tocar no clube na festa de lançamento da coletânea junto com tantos artistas legais foi uma experiencia muito bacana. Fui muito bem recebido tanto pela casa quanto pelos artistas e principalmente pela pista. Sem duvidas é uma das pistas mais abertas a novas sonoridades na qual eu já toquei, o publico muito educado, a casa muito organizada. Uma outra realidade, um outro mundo.

4 – Você é figura constante no line up de eventos independentes de Floripa. Como você enxerga essa cena e qual a importância dessas festas para o seu amadurecimento artístico?

Minha bagagem ainda é muito pequena e as festas que venho tocando aqui na região tem somado muito na minha experiencia e condução de pista. Ainda mais pelo fato de o publico de Florianópolis ser bem exigente no quesito musica eletrônica. Temos muitos DJs e produtores talentosos por aqui, e trabalhar com pessoas assim também é de grande auxilio e importância.

5 – Para finalizar, vamos falar um pouco sobre suas influências e as novidades para o restante do ano.

Boa!! Tem muita coisa boa pra acontecer neste ano ainda. Estou focado e trabalhando bastante pesado em um álbum de inéditas. O álbum conta com musicas produzidas por mim e algumas colaborações de amigos.. Maioria das faixas com letras compostas e cantadas por mim, algumas com alguns riffs de guitarra ou outros instrumentos orgânicos. O álbum recebe muita influencia da musica eletrônica alternativa e experimental, artistas como Thom Yorke, David Lynch, Grimes e Nicolas Jaar são boas referencias para este trabalho. Antes de lançar o álbum, estarei disponibilizando também um EP com mais 3 faixas inéditas mas desta vez voltado para o Techno e Minimal. Artistas como Dessous Shop, Avatism e Lake People são boas referencias para o EP.