Com a palavra, Leonardo Ruas:

Desde que comecei a pesquisar musica brasileira, fiquei encantado com trios, quartetos, quintetos, sextetos e as vezes septetos dos anos 60 e 70. Com o surgimento da bossa nova, seria natural que este estilo flertaria ainda mais com Jazz, devido aos acordes, swing, estrutura musical e com isso permitiria o surgimento de um movimento paralelo, voltado a musica instrumental. Então surgiu o jazz brasileiro, ou samba jazz. No começo eram na maioria trios, mais tarde foram incorporados inúmeros instrumentos e vocais significativos. Foi um movimento que ajudou a moldar o que hoje chamamos de MPB.

A imagem pode conter: 2 pessoas, área interna

Achar discos desse gênero é uma tarefa quase impossível e caríssima, os japoneses e europeus são malucos por esses vinis e dedicaram anos comprando tudo que sobrou de coleções pessoais. Nós não damos a devida atenção para a musica instrumental, uma pena! No Japão, a paixão é tão grande que nas lojas de CDS é fácil achar um setor dedicado 100% a musica instrumental brasileira com relançamentos de discos raríssimos – uma baita pena que lá tem e aqui nem lojas de CDS temos mais.

Vale parar um tempo e ouvir esse estilo rico de balanço, e prestar atenção nas artes das capas que são um show a parte – sempre que me deparo com uma capa penso como era possível sem computadores chegar nesse resultado! Isso me faz concluir que as vezes é bom limitar nossas ferramentas, assim podemos extrair o melhor delas e não nos perder em tantas opções… Uso essa filosofia tanto fazendo musicas autorais quanto criando as artes de flyers, covers dos meus trabalhos.

Samba Jazz, só pelo nome já fica irresistível de ouvir não?

A música conecta as pessoas!