weird | O improviso sempre foi parte da vida de Jamie Roberts. O artista inglês conhecido como Blawan é baterista desde muito jovem, habilidade que transformou a percussão em um dos seus maiores diferenciais como produtor. Sua trajetória musical por estados de espírito e estéticas como Bass e House Music não o distanciaram da sua maior plataforma de produção: o Techno industrial, metálico, tribal ou, como ele mesmo chama, “weird”.

potencial | Foi ao final da faculdade que Jamie decidiu entrar no mundo da música. Como muitos dos produtores que conheço, ele também era excessivamente perfeccionista e inseguro para enviar demos a outros artistas e labels. Quando finalmente arriscou, foi a ligação de Ramadanman que o convenceu do seu potencial. O seu debut EP Fram pela Hessle Audio em pouco tempo abriu espaço para diversos outros nos respeitados R&S, Clone Basement Series e Hinge Finger. Eu sempre digo, o “não” você já tem (mas não esqueça que um monte de gente ruim já teve pelo menos um “sim”).

kareen | Blawan e Pariah estão juntos há mais de 5 anos em uma colaboração traduzida em Live P.A. que costura entre equipamentos as diferentes vertentes de um som denso, sujo e saturado.  Em outras palavras, a idéia é simples: trazer o estúdio para fora de casa e calibrar os equipamentos para fazer você dançar.

ouça | Com 15 EPs lançados, Blawan vai segurar a sua atenção. A cada release ele conta um capítulo bem diferente das suas influências musicais. A diversidade que o distancia de rótulos me faz pensar: quem tenta ser muitas pessoas, acaba sendo ninguém… ou, nesse caso, outra bem especial.

quando | Para quem tiver a oportunidade de ir à algum festival europeu neste verão, ele se apresenta no Sonar Off-Week em Barcelona, Awakenings e Dekmantel, ambos na Holanda. Pertencente a um vasto grupo de artistas europeus de qualidade que “não enchem a casa”, infelizmente sua vinda ao Brasil não é nada clara.

A música conecta as pessoas!