Faixa a faixa

Faixa a Faixa | Tha_Guts – Mycelium Network [dsrptv rec]


Micélio é o nome dado ao conjunto de hifas de fungos multicelulares, como os cogumelos. Essas hifas se conectam no subsolo criando uma rede com todas as espécies vegetais permitindo a comunicação entre os seres do habitat para seu desenvolvimento, ação essa que, entre tantos fatores, inspirou Tha_Guts na nomenclatura de seu novo álbum, Mycelium Network. Composto por oito faixas que assumem uma finalidade macroestrutural, o produtor constrói atmosferas misturando ruídos à ambiências e texturas.

Em um álbum que reforça o quão minucioso é o trabalho de Tha_Guts, as faixas ainda refletem o experimentalismo que guia o trabalho do produtor. A pós produção contou com L_cio na mixagem e arranjos e também RHR na masterização, que sugeriu ao produtor realizar o processo em fita rolo, feita com auxílio de Arthur Joly. Lançada através da dsrptv rec, selo fundado por Tha_Guts, convidamos o produtor a contar as características, detalhes e suas impressões sobre Mycelium Network. Confira:

Jacques | Faixa de abertura do álbum, a influência dos primeiros trabalhos do Nicolas Jaar em ‘Jacques’ é inegável. Essa música estava pronta quando foram adicionadas às texturas e o vocal em francês.

Burning in My Soul | Principal faixa, também minha preferida. Composição que deu forma ao álbum e a direção que o trabalho iria tomar conceitualmente. Teve início a partir do vocal e do pad moog modular. 

Deeper | Deeper foi a faixa que mais teve versões antes de chegar ao resultado final, mais de dez eu acredito. O vocal foi adicionado no fim do processo, uma semana antes da mixagem e consequentemente mudou o nome da faixa de ‘Closer’ para o nome atual.

Saudade (Piano Mix) | Take de piano que acabou não entrando na faixa Saudade original. Inclusive se escutado com cuidado na gravação desse trecho teve alguns “erros” que mantive propositalmente para manter a fidelidade ao clima despretensioso em que foi captada.  

Error | Se Burning in My Soul é a faixa principal Error se posiciona como uma espécie de abertura para a segunda metade do álbum, direcionando o ouvinte para um ambiente mais dinâmico e conectado ao dancefloor.

Real Song | Faixa 4X4 mais conectada à pista de dança. Bass gravado com arpeggiator do JP-08 (versão boutique do Jupiter 8), depois que chegou foi a primeira faixa que usei esse synth e a segunda do álbum a ficar pronta. 

Saudade | A maioria das faixas do álbum estavam prontas quando decidi compor um som que pudesse baixar a adrenalina da faixa anterior ‘Real Song’ e se encaminhar para o final em um tom mais agradável e suave.  

Time | Nessa faixa tive a oportunidade de gravar em um Rhodes Mark I da Fender. Gosto muito de como a tecnologia evoluiu com VST’s, mas a experiência de gravar com um piano elétrico de 1973 foi incrível. Após as bases prontas conheci uma cantora que gravou os vocais, apresentada pelo dono do estúdio que havia gravado os teclados. Depois na mixagem ficou óbvio que precisava dessa faixa para finalizar o álbum.  

A música conecta.