READING

Papo de Estúdio | Ágatha Prado indica 5 sintetizad...

Papo de Estúdio | Ágatha Prado indica 5 sintetizadores digitais para quem está começando no mundo dos DAW

Por Ágatha Prado

O sintetizador é o elemento predominante na produção da música eletrônica por ser um instrumento que reproduz uma variedade de timbres os quais podem ser modulados e editados até se transformarem em outras diversas sonoridades.

Os primeiros sintetizadores a se tomarem sistemas modulares de diversas funções foram idealizados na década de 60 por Herbert Deutsch e Robert Moog, conhecidos como Moog e posteriormente evoluindo para o modelo compacto conhecido como Minimoog. Com o sucesso de sua comercialização, o Moog abriu os caminhos para a evolução dos sintetizadores analógicos até os modelos que utilizamos nos dias de hoje como por exemplo: Roland TB 303 e D-50, Yamaha DX7, Korg MS-20, ARP Odissey, etc.

A aquisição de sintetizadores analógicos, apesar da ampla definição sonora, possui o custo um tanto elevado. Porém, com a evolução da tecnologia digital, podemos encontrar inúmeros softwares de sintetizadores digitais, que oferecem acesso à parâmetros que vão além dos oferecidos pelos sintetizadores analógicos.

Pensando em você, um iniciante no mundo da produção musical, listaremos aqui cinco softwares de sintetizadores digitais, alguns muito conhecidos e outros não tão convencionais, com funções bem abrangentes, boa acessibilidade e fácil manipulação, que rodam nos Audio Workstation (DAW) mais utilizados.

Sylenth 1

O Sylenth1 é um VST polifônico desenvolvido pela Lennar Digital. Ele é um dos sintetizadores digitais mais utilizados por produtores ao redor do mundo. Com sonoridades que se encaixam para projetos do Techno ao EDM, o VST conta com quatro osciladores com oito tipos de onda disponíveis. Por ser polifônico, o Sylenth pode transmitir até 16 vozes simultaneamente. É um programa relativamente leve, não ocupa muito espaço no disco rígido, mesmo contendo quatro bancos de presets com mais de 500 patches cada.

Você sabe quais são os melhores monitores de áudio para começar a produzir? Confira aqui.

As propriedades de edição sonora são amplas, com variáveis de modulação e adição de filtro, efeitos (delay, reverb e sequenciador), envelopes de modulação e dois LFOs que podem ser atribuídos a dois parâmetros diferentes. O Sylenth1 permite que você manipule correções de som com rapidez e facilidade, além de uma alta qualidade sonora, atribuindo uma abordagem que se presta bem ao aprimoramento da criatividade e à simplificação do fluxo de trabalho.

Twin 2

Desenvolvido pela Fab Filter, o Twin 2 avança para uma interface totalmente inovadora e dinâmica, que permite a transparência de todos os processos de edição. Além dos dois osciladores e modulações de tonalidades e desenhos de ondas, o Twin 2 conta com um oscilador extra, gráficos de delay com controles de feedbacks e crossfeeds, com saídas de muita qualidade.

O mais interessante do Twin 2 são as possibilidades práticas de modulações e envelopes, que permite que as fontes de modulações sejam direcionadas aos parâmetros apenas arrastando e soltando. Além de todas essas possibilidades, o plug-in conta com 12 bancos de som, com pelo menos 20 presets cada, dos quais podem ser editados conforme a criatividade.

Synplant

Com design nada convencional, e ao mesmo tempo interessante, o Synplant produzido pela Sonic Charge, faz uma analogia ao desenvolvimento e a genética de uma planta. Cada timbre possui uma semente, que ao germina-la contém variações de frequência e ressonância que crescem ao longo das folhas. O plug-in possui uma grande diversidade de patches de timbres orgânicos e sintéticos, que soam como a ambiência da natureza, podendo gerar inúmeros efeitos e atmosferas personalizadas.

Melhore sua performance no Ableton Live com as dicas de VAntônio!

O layout principal pode parecer estranho em um primeiro momento, porém o software acompanha um tutorial completo para um primeiro visitante. O sintetizador oferece possibilidade de modulações de tonalidade, efeitos, velocidade e release. Porém, se desejar modulações avançadas, basta manipular os “genes” de suas sementes, cada patch possui um DNA sonoro contendo múltiplos parâmetros de curvas, envelopes, filtros e efeitos. O Synplant atribui uma característica peculiar principalmente para pads, ambiências e FXs.

Tyrell

Para quem curte timbres e sintetizadores típicos de projetos de house e disco, o Tyrell N6 é uma ótima opção, além de ser free. Desenvolvido pela alemã Amazona, o VST conta com dois osciladores de ondas, envelopes de filtros moduláveis, matriz de equalização de frequência, balanço ADSR, além de uma gama de presets de sequenciadores, pads, drums, bass e efeitos que remetem aos elementos de french house, funk, eletro house e eurodance. O Tyrell é um VST completo, com áudios de qualidade, layout de fácil manipulação e instalação.

Juce OPL

O Juce OPL é um VST que simula o sintetizador Yamaha OPL dos anos 90. Prático e de simples entendimento, o software contém dois osciladores com oito formatos de ondas cada, permitindo que sejam feitas modulações básicas de parâmetros ADSR, frequências e alguns efeitos como “tremolo” e “vibrato”, além do amplificador FM. Nas últimas versões, o VST permite também a criação de elementos percussivos.

O Juce OPL não possui muitas opções de manipulações avançadas, porém se você está começando agora a trabalhar com sintetizadores digitais, o plug-in é ótimo para entender o padrão de ondas e oscilações. Além de tudo o VST é free, disponível para Linux, Windows e OSX.

A música conecta.


Equipe de reação do portal Alataj, focada em levar conteúdo cultural ao público antenado na música eletrônica.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS