A intensa jornada musical da TROOP durante a pandemia

Quem minimamente nos conhece sabe que nosso grande pilar ideológico dentro do que desenvolvemos enquanto comunicadores da música é o fato de que a música é capaz de realizar grandes conexões. Assim como nós, temos o prazer de ver outros projetos que também levam essa filosofia junto do seu trabalho e a TROOP é visivelmente um label que carrega esse viés conectivo de diversas formas.

Desde o seu surgimento, a TROOP vem se mostrando consistente num propósito de manter não apenas a música de qualidade viva, mas também um ambiente colaborativo, intimista e relevante para o cenário da música eletrônica em nível nacional, realizando eventos em diferentes espaços e propostas, trazendo artistas conceituados e fomentando a cultura no geral por meio de ações gratuitas, projetos em parceria com outros núcleos e outros movimentos.

Para se ter ideia, o label já trouxe para suas pistas artistas de peso mundial como Fred P, Moodymann, Daniel Bell, Patrice Scott, Ryan Elliott e XDB, além de ter em seu time de residentes artistas renomados nacional e regionalmente, que engrandecem os eventos e dão o tom conceitual e intimista desejado. A TROOP também já realizou alguns eventos gratuitos, participação enquanto bloco de carnaval, um mini festival e faz sua parte para promover a fusão entre estilos como música eletrônica e Jazz, para citar um exemplo.

Ainda que o mundo do entretenimento tenha forçado uma pausa nas suas atividades presenciais a TROOP rapidamente deu um jeito de se manter ativa, mantendo vivas suas conexões entre artistas e deles com seu público. A começar pelas playlists assinadas por artistas residentes do núcleo e que já passaram pelas cabines ao longo de suas histórias. Lá você encontra desde seleções para a pista de dança até influências de brasilidades, lado B musical e outras maravilhas sonoras. 

A jornada segue através de diversas lives que proporcionam boa música e entretenimento para os momentos de reclusão, com o destaque para a realizada por ninguém menos que Move D. O artista, que viria tocar na edição comemorativa de aniversário do núcleo, fez questão de não deixar passar em branco o final de semana em que a festa seria realizada e preparou um encontro especial com o público que estava esperando o evento.

Se você acha que as conexões param por aí, muito se engana. O núcleo ainda deu o pontapé inicial em um projeto pra lá de interessante, que junta nomes de alto nível mundial para um bate-papo engrandecedor nas redes sociais. Nesta primeira etapa, o núcleo convidou Fred P para comandar essa série de conversas e o primeiro episódio aconteceu há algumas semanas colocando frente a frente (virtualmente, é claro) o DJ e produtor com um gigante da música brasileira, Ivan Conti. Mais conhecido como Mamão, Conti é integrante da banda de jazz Azymuth, reconhecida mundialmente por sua visão inovadora dentro da música em toda a sua trajetória.

O encontro foi de fato um momento ímpar em meio aos conteúdos que estão sendo produzidos neste período de isolamento pois, além de realizar conexões que fogem do óbvio, trouxe um bate-papo cheio de conteúdo para os amantes da música e profissionais do ramo. 

Contribuições relevantes, entretenimento e conversas musicais. Que a chama e ideologia da TROOP siga acesa enquanto os belos encontros que eles proporcionam ao vivo ainda não aconteçam. A gente segue acompanhando tudo por aqui e sugerimos a vocês o mesmo. Basta ficar ligado em suas redes sociais.

A música conecta.