Faixa a faixa

Faixa a Faixa | Charlie Thorstenson – Kretsloop [Awesome Soundwave]

O sueco Charlie Thorstenson é conhecido por desenhar paisagens sonoras ácidas como um verdadeiro viking do Techno. Fascinado por combinar detalhes incomuns e textura que soam imprevisíveis dentro de suas composições e live sets, Charlie vem, desde 2017, contribuindo para o cenário do Techno europeu com sua personalidade única dentro de estúdio. 

Agora estreando seu mais novo álbum intitulado Kretsloop e marcando presença novamente no catálogo da Awesome Soundwave – gravadora comandada por Carl Cox e Christopher Coe -,Thorstenson traz toda energia estimulante do Big Room Techno com elementos minimalistas, que tornam o conjunto de 13 faixas ainda mais interessante.

Ele está aqui hoje para comentar em detalhes cada uma das faixas do álbum. Confira.

Sediment | Sediment atua como a introdução, definindo o clima e a paleta de som de todo o álbum. Ao esboçar o conceito do álbum, escolhi minhas máquinas e efeitos favoritos para usar e decidi fazer uma extensa amostra de mim mesmo para obter um som coerente. Eu queria criar um álbum muito orgânico e vivo. A sensação borbulhante e subaquática foi, por exemplo, retirada da segunda faixa, Surface. E a “chuva” não é chuva de verdade, são artefatos digitais vindos do meu Eventide H3000. Adorável!

Surface | Surface é uma faixa muito estável, como um trem subaquático correndo no meio das algas marinhas. As melodias arejadas nos dão um pouco de oxigênio bem necessário! Esta faixa é construída em torno de uma gravação que fiz com o Soma Laboratory Ether v2. É uma espécie de microfone que capta interferências ao nosso redor, coisas que não podemos ouvir. O bip e o som de rolamento / tique-taque, que vai ao longo da faixa, são gravados com “Ether” apontando para a parede de meus vizinhos. A parte barulhenta no intervalo vem do abajur que fica na minha mesinha de cabeceira na mesma parede!

Flood | Eu não me canso dessa textura borbulhante do bass.  Esta é uma das técnicas que descobri ao criar o álbum. Eu tenho um clone do super famoso Roland TB-303 chamado Avalon Bassline. Tem a possibilidade de abrir o gate para que o som esteja sempre a tocar, mesmo com o sequenciador parado. Basicamente, é um Drone Ácido. O mais legal com isso, é que você pode programar um padrão apenas com slides. Isso significa que você se livra de todas as deformações duras e agressivas e deixa um tapete macio de zumbido ácido.

Kretslopp | Kretslopp usa a mesma técnica de Flood para a linha de baixo. Além disso, esta faixa depende muito de um antigo Analog Delay chamado Locobox AD-10. Se você está atrás de um atraso de som primitivo, pode querer procurar outro lugar … Parece ruim, na melhor das maneiras. Crocante pode ser a palavra correta para descrevê-lo. Os pads e o tipo de som “sonar” arejado são esculpidos com esse atraso. Um longo feedback e mudança do tempo de atraso à mão cria essas caudas assustadoras para os pads.

Stream | Se Surface for estável, Stream é… estável? Essa faixa eu cometi um erro muito sortudo. Eu experimentei a melodia de uma faixa mais antiga minha, chamada Arid. É meio tempo, agudo e duplo novamente .. Então eu passei por meu amado H3000 para dar à amostra um pouco mais de largura e movimento. A ideia era ter a melodia seca no “meio” da mixagem e os efeitos apenas para adicionar algo a mais.

Mas, ao mover projetos para frente e para trás entre o computador e os discos rígidos, a melodia original se perdia. Eu não percebi isso até ouvir, o que eu acreditava, a mixagem final. A melodia soava muito mais viva, então decidi mantê-la assim. Mais tarde, encontrei a amostra, mas decidi que parecia muito mais legal sem ela! Esta também é a razão pela qual a melodia vai e vem pela faixa, já que ela foi inicialmente criada para apoiar a melodia principal.

Jord | Piano em Techno… Parece uma questão carregada, eu não posso evitar,  adoro isso! Eu tive piano em algumas faixas anteriores, Acid Contemplation e Charcoal Grey (sob meu alias de Charlie Don’t Surf). Certamente não sou um pianista profissional, apenas toco por sentir. A melodia completa de Jord foi gravada em uma longa tomada. Talvez eu esteja começando a aprender ou talvez seja pura sorte, quem sabe! O som do piano recebeu um tratamento um pouco degradante, como mencionei antes, ao enviá-lo através do meu atraso barulhento, mas sem feedback, apenas para obter a cor que queria.

Windsweapt | As pessoas sempre falam sobre seus filtros favoritos. Ok, nem todas as pessoas … Mas algumas sim. Não sei qual é o meu favorito, mas nesta faixa um filtro ganhou o papel principal! O Avalon Bassline tem um slot de cartucho na parte traseira que permite substituir o filtro 303 original por outro. Eles vêm em cartuchos de Gameboy antigos .. tão legal! O filtro SEM, usado nesta faixa, dá ao 303 uma sensação totalmente diferente. E se você aumenta o volume da máquina, ele distorce internamente. Amável!

Sedimental | A maioria dos sequenciadores é feita de forma que você primeiro precisa pensar no que deseja e, em seguida, programá-lo. Quando você inicia o sequenciador, uma linha de sintetizador previsível está tocando. Parece bastante óbvio. Mas também bastante … enfadonho.

Felizmente, o Teenage Engineering OP1 vem para resgatar. Eu tenho uma relação de amor e ódio com essa coisinha. Com todas as suas peculiaridades e limitações, estou impressionado que ainda possa me surpreender! O som de chumbo em Sedimental foi feito com o OP1 conectado ao meu computador, sequenciando um sintetizador VST. A “falha” ocasional no som é apenas algo que o OP1 criou sozinho. Inesperado e ótimo!

Lokalsinne | Uma das primeiras coisas que aprendi quando comecei a produzir música foi “nunca coloque nenhum reverb ou efeito no seu kickdrum”. Eu me pergunto por que as pessoas estão tão presas a essa maneira de pensar. Alguns ainda estão. Lokalsinne é um bom exemplo de grandes coisas que podem acontecer ao executar um kick em uma cadeia de efeitos. Um efeito de reverberação e flanger são quase os únicos responsáveis ​​por toda a faixa. Quase cria uma pequena melodia na sua cabeça … Então, por favor, deixe todos os bumbo lá fora para também desfrutar do calor dos efeitos!

Stilla | Stilla pode ser a faixa que foi feita mais rápido do álbum. É tudo sobre a linha irregular de Acid. É apenas um ritmo! Todas as paisagens sonoras complexas são do Avalon em execução no H3000. Essa faixa é muito divertida de tocar ao vivo. Pode soar de muitas maneiras diferentes, mas sempre toca. Não tenho certeza de como consegui fazer um padrão como esse. Acho que todas as estrelas estavam alinhadas naquela noite!

Unfold | Esta é uma das minhas favoritas do álbum. Eu simplesmente amo o som do condutor elétrico nesta faixa. Eu fiz isso com meu sistema modular. Ele não fica dentro do padrão usual de 8/16 bar. Não sei é pela  fórmula de compasso, mas parece evoluir ao longo da faixa. Para mim, essa é a verdadeira beleza de um sistema modular. Pode soar tão cru e intransigente, mas colocado em um contexto mais orgânico, realmente brilha!

Come Rain, Come Shine | Eu tentei capturar um sentimento um tanto positivo ou prospectivo neste. O álbum inteiro foi criado no início da pandemia. Tudo era tão incerto e todos nós entramos em nossas próprias cavernas. Esta trilha quer ver a luz no túnel. Possui high hats fortemente mutilados assinados pelo H3000. (Acho que você vê um petter aqui. Pegue um som, execute-o no H3000 e, uau, você conseguiu um som estelar!) Almofadas arejadas feitas com o OP1. E, claro, batida 909 constante.

Krets-loop | A última faixa do álbum, Krets-loop, recicla muitos elementos de Kretslopp e os coloca em um ambiente diferente. Kretslopp é uma palavra sueca e significa algo como “ciclo biológico” ou “circulação”. Essas duas trilhas estão conectadas com os mesmos sons. Eles reciclam sons uns dos outros, criando um Kretslopp vivo.