Special Series | Miss Kittin

Volta e meia minha memória me leva para os primeiros anos e experiências que tive com a música eletrônica. As primeiras festas, as primeiras sensações em uma pista de dança, as primeiras descobertas sonoras e de artistas. Foi tudo muito marcante, pois essas vivências estão presentes até hoje nos conceitos que guardo comigo sobre música e cenário. Comecei esse Special Series falando disso porque guardo comigo, nitidamente, as primeiras vezes que ouvi um vocal feminino muito notável, falado e não cantado, que trazia uma imponência única na faixa. Quando soube a dona daquela voz soube também que ela era uma das representantes mais fortes do cenário feminino da música eletrônica e, para mim, um dos – se não o primeiro  – contatos que tive com uma artista mulher de abrangência mundial desse universo.

Essa mulher é Miss Kittin. Pode ser que num primeiro momento você não reconheça esse nome, mas basta dizer que é dela a voz que ecoa no grande hit de Techno da ANNA do ano passado, Forever Ravers, para que a grande maioria já a encontre na sua mente. Miss Kittin é, sem sombra de dúvidas, um dos nomes mais importantes na história da trajetória feminina e por muitos motivos que não apenas como compositora e cantora. Ela é DJ, produtora, fomentadora da cena rave dos anos 90 e uma das figuras que encabeçou o Eletroclash naquela década – e até hoje mantém vivo esse estilo. Conhecer sobre a música eletrônica e não conhecer a história e relevância dela não é uma opção, te juro.

Miss Kittin é, na verdade, Caroline Hervé. A artista nasceu em 1973 em Genoble, na França, e sua relação com a arte em seus diversos formatos começou antes mesmo do seu encontro com a música eletrônica. Inicialmente, seu interesse pela arte inclinou-se para o viés visual, tendo ela estudado arte contemporânea, incluindo as digitais. É claro que mesmo naquele momento ela já convivia com a música em si, mas através do Jazz, Funk, Clássica e outros estilos, herança que veio de sua família. O encontro com a música eletrônica aconteceu no início dos anos 90 e, diferente de muitos artistas que encontramos hoje, ela não se debruçou na arte da discotecagem e produção logo de cara, mas começou realizando festas raves por toda a França.

O envolvimento com a arte musical chegou logo depois e não demorou nem um pouquinho para que seu talento fosse reconhecido em seu país e ela iniciasse uma carreira como DJ, sendo logo de cara requisitada por agências e ganhando destaque em festas e clubs. Foi em 1996 que Kittin decidiu se mudar da França para a Suíça em busca de novos horizontes, mas neste ponto ela já era um dos grandes nomes do cenário Eletroclash e Eletropop do momento. Hits como 1982 e Frank Sinatra se tornaram hinos e até hoje reverberam nas pistas de dança ao redor do mundo. O tempo passou e ela também se inclinou ao Techno e Eletrônica, sempre com uma linha sonora muito particular e com uma personalidade musical que carrega até hoje em suas produções.

Muito também se deve àquela voz que citei acima. Ela realizou, ao longo dos anos, colaborações de peso com artistas como The Hacker – com quem tem o projeto Miss Kittin & The Hacker, e gravou mais de um álbum – Felix Da Housecat, Chicks on Speed, Dubfire, Guy Gerber, Marc Houle e tantos outros nomes, incluindo o grande sucesso que comentei ali em cima juntamente com a nossa brasileira ANNA. Seus lançamentos alcançaram gravadoras conceituadas e dentro do cenário underground da música até hoje como Zone, Mobilee, Nobody’s Bizzness, Internacional DeeJay Gigolo Records, entre outras.

Miss Kittin já rodou o mundo em mais de 50 países com suas apresentações que misturam estilos musicais imponentes e intervenções vocais que são extremamente marcantes. A artista já aterrissou no Brasil algumas vezes e vem se encontrando com o público brasileiro desde 2007 em festivais de renome como Skol Beats e labels independentes mais recentes como a RARA, no Rio de Janeiro. Sua discografia compreende mais de 15 álbuns entre projetos solos e o Miss Kittin & The Hacker, além de diversos EPs, singles e as maravilhosas colaborações com artistas ao redor do mundo. Uma artista para acompanhar, admirar e trazer para a lista de figuras inspiradoras dos maiores amantes da música eletrônica.

A música conecta.