Who? Spookyfish

O universo da música eletrônica permite uma fusão de referências sonoras, estéticas e multi-perceptivas que não se voltam necessariamente apenas para as pistas de dança. Na verdade, a música como um todo é uma tela em branco, um espaço de liberdade em que tudo é permitido, onde a experimentação é a grande virtude da criação. 

Neste contexto, vamos falar sobre uma artista singular que faz da experimentação de diferentes elementos e sensações a espinha dorsal para sua identidade musical. Dani Ramez, conhecida no meio artístico como Spookyfish, é natural do Cairo, no Egito, mas radicada no Canadá. Ligada à música desde a infância por influência do pai, foi no violão que ela encontrou a ferramenta principal para imprimir sua sensibilidade.

Spookyfish cresceu ouvindo Folk Music e com os ouvidos acostumados às sonoridades acústicas, desenvolveu uma percepção distinta quando deu start ao seu projeto musical em 2011. Compartilhando loops de violão e composições originais em seus primeiros anos de carreira, foi nos últimos anos que ela viu sua assinatura tomar uma forma mais refinada e consistente, quando descobriu as possibilidades de imersão dentro das sonoridades eletrônicas.  

Seguindo sobre as atmosferas do Ambient/Downtempo e inspirada pelos trabalhos de Gold Panda, Helios, Múm, Explosions In The Sky e Four Tet, Spookyfish foi consolidando sua identidade sobre uma estética singular dentro do cenário eletrônico underground. Combinando elementos electro-acústicos e harmonias profundas, suas faixas são verdadeiras viagens sensoriais em um ponto de encontro entre o orgânico e o sintético. 

O trabalho de Spookyfish ganhou a atenção da mais nova gravadora brasileira DSRPTV Rec., voltada para sonoridades experimentais e peculiares, que a receberá no próximo mês inaugurando seu catálogo com o EP Obsculon. O disco irá contar com quatro faixas originais e mais dois remixes, um assinado por L_cio & Bica, outro pela própria DSRPTV, apresentando uma travessia sonora tridimensional, mesclando analógico e digital através de uma arquitetura de timbres e texturas imersivas.  

A música conecta.