READING

Faixa a Faixa | Superlux – Enter The Superlu...

Faixa a Faixa | Superlux – Enter The Superlux [Superlux]

De Nova York a Londres, o garage house ajudou a desenhar a estética sonora da década de 90, agitando a pista dos destinos mais undergrounds de importantes cidades do globo. Apesar de sua origem americana, foi na terra da rainha que o estilo realmente se estabeleceu, tornando-se parte da cultura musical do país até os tempos atuais. Ele é o principal ponto de conexão entre os britânicos Mike Gill, Nick Gynn (aka N-Gynn) e Johnny Hunter, que se juntaram recentemente para formar o projeto Superlux.

Mike e Nick são artistas já consolidados na cena inglesa, com mais de uma década de experiência cada um, e já possuem uma parceria de longa data que percorre os destinos mais undergrounds do circuito londrino. Johnny é um DJ e produtor ainda em desenvolvimento e dá seus primeiros passos na indústria, mas o talento não escapou à atenção da dupla de veteranos que o recrutou para completar o time no novo projeto.

+++ Renato Cohen contou pra gente a experiência de sua primeira gig profissionalmente

O Superlux busca imprimir em sua sonoridade a identidade eclética de cada um dos membros formadores, que ultrapassa as fronteiras do garage house e permeia estilos que vão do dub ao techno. Juntos eles também comandam a gravadora de mesmo nome, por onde lançaram seu debut EP, Enter The Superlux, em julho deste ano. Mike, Nick e Johnny nos apresentaram as faixas inéditas e comentaram cada uma delas, confira:

Superlux – White Noise (Mike Gill Noisy Rework) | A versão original de White Noise foi uma das primeiras colaborações entre Mike Gill, N-Gynn e Johnny Hunter. Foi utilizada uma combinação de samples da coleção de discos de N-Gynn com uma Juno 106 e Korg MS2000 e Mike decidiu gravar a Korg Electribe MX para adicionar um pouco de viagem e barulho a ela e assim deixar a faixa mais atraente.

Superlux – Chupa Track | Chupa Track foi de fato a primeira colaboração entre o trio, que utilizava basicamente os mesmos sintetizadores, mas adicionando mais samples vocais e sons da Korg Monologue.

N-Gynn – Take one | Take One foi gravada em um estúdio em Hackney Wick e projetada por Remi Mazet. A bateria foi gravada em uma vintage 808, que dá uma incrível sensação orgânica à faixa, enquanto a linha de baixo é feita em uma Juno 106 e os samples são da famosa biblioteca de samples de N-Gynn.

N-Gynn – Take one (Dawl Remix) | Todos os integrantes do Superlux são grandes fãs de Dawl e ele foi o primeiro nome que surgiu ao buscar um remixer. Esse foi o primeiro remix produzido por ele e superou as expectativas de todos, fechando o EP da melhor forma possível.

A música conecta.


RELATED POST

INSTAGRAM
SIGA-NOS