Alataj entrevista Santé

Baseado em Berlim, Santé é mais um nome que justifica com sobras a força dessa atual geração de DJs e produtores. Artistas como ele surgiram para o mercado internacional há pouco mais de 5 anos e hoje, quando estão em ação, demonstram a maturidade de veteranos, tanto frente as pistas das mais diversas partes do mundo, quanto em seus lançamentos, um mais impactante do que o outro.

A carreira de Santé se desenvolveu de mãos dadas com seu label, AVOTRE. Fudando em 2012, a gravadora acompanhou e em diversos momentos alavancou a história deste jovem e talentoso produtor alemão. Graças a uma curadoria precisa e uma identidade musical bem definida, o selo captou a atenção de outros artistas jovens do cenário, caso de Sidney Charles, amigo e parceiro de produção de Santé, e outros mais experientes, como Hot Since 82 e Patrick Topping.

Além da AVOTRE, Santé também emplacou faixas em labels de renome do cenário internacional, entre eles Cocoon, Defected, 8bit, Hot Creations, Elrow Music, Saved Records e Natura Viva. Esses lançamentos o deram ainda mais visibilidade no cenário internacional e com isso, uma inserção no mercado brasileiro também. Hoje, Santé deixou de ser uma aposta para se tornar uma realidade, um daqueles nomes capazes de sempre captar a atenção do circuito internacional. Confira o resultado nosso bate-papo com ele:

Alataj: Olá, Santé! Obrigado por nos atender. Ao longo dos últimos anos sua música ganhou as pistas de todo mundo, seja através de seus DJ sets ou de outros artistas tocando suas faixas. Na sua opinião, quais são os fatores essenciais para conquista dessa reputação?

Fazer o que você ama. Amo fazer música, é uma grande parte da minha vida todos os dias e é ótimo ter feedback do público quando você toca uma faixa pela primeira vez.

Certamente a AVOTRE possui uma importância significativa no seu desenvolvimento. Fale mais sobre os principais aprendizados que você teve com o selo até aqui:

Eu estava trabalhando em uma gravadora antes de começar a AVOTRE e foi lá que percebi que queria criar uma plataforma para meus amigos e eu tivéssemos a liberdade de ser o mais criativo possível. Aprendi que há muito trabalho na criação de um selo, mas isso me dá uma espécie de liberdade criativa, a qual gosto muito.

 

Outros importantes labels que você lança incluem 8bit, Get Physical, Elrow Music e Hot Creations. Até aqui, o que você tira de melhor do relacionamento humano com essas marcas?

Todos os lançamentos aconteceram mais ou menos organicamente. Sempre encontro pessoas ao redor do mundo, passando por turnês e tendo ótimos momentos juntos, acabo enviando a essas pessoas a minha música primeiro. Se eles gostarem, eles assinam em seus selos. Bem simples.

Quais são as melhores lembranças de suas passagens pelo Brasil? O que o público brasileiro tem de melhor?

A enorme multidão e o ritmo. O público brasileiro adora dançar e vibrar a cada nova música.

 

Alguns de seus mais importantes remixes foram entregues a nomes do calibre de WhoMadeWho e Marco Faraone. Como você se sente trabalhando nessa posição?

Se eu escolher remixar uma música, o mais importante é que ela chame minha atenção. Pode ser o vocal, ou sintetizador, ou um único som, mas o original precisa chamar minha atenção, que é o que inspira a criatividade para escrever algo novo.

Você possui uma carreira fortemente ligada a house music, mas também se mostra muito talentoso produzindo techno. Como consegue criar uma identidade tão interessante flutuando entre esses dois estilos?

Porque eu amo os dois e isso sempre se resume ao clima no estúdio. Às vezes estou mais deep e groove e outras vezes vou mais para o techno, mas geralmente sou muito conduzido pelo groove.

Sobre o Brasil, há algum DJ ou produtor brasileiro que você tem observado nos últimos tempos?

Confira Dakar. Eu acho que ele tem um enorme potencial.

Para finalizar, uma pergunta bastante pessoal. O que a música eletrônica representa em sua vida?

É um grande privilégio ser um DJ com turnês internacionais e poder ganhar a vida dessa maneira. É uma benção muito grande e eu agradeço todos os dias.

A MÚSICA CONECTA.


Alan Medeiros é publicitário, sócio-fundador do Alataj e nome por trás da Beats n' Lights Management.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS