Alataj entrevista Talismann

O nome dele é Guy Blanken, seu nome artístico é Talismann, mas você facilmente o reconheceria como Makam. O irlandês que despontou mundialmente nos últimos anos teve uma infância privilegiada, a adolescência dentro das pistas de dança e, para nossa sorte, depositou toda essa experiência em suas produções e apresentações como DJ. Agora ele também tem ganhado mais destaque como Talismann que é inteiramente focado ao techno e lança suas faixas apenas em seu selo que leva o mesmo nome do projeto.

E se você não conhecia esse outro lado do artista e acredita que trata-se de algo novo, muito se engana. Guy iniciou este projeto há muitos anos, assim como sua relação com o gênero, que caminha ao seu lado muito antes da levada house que ele apresenta com seu outro personagem, mostrando que não importa o caminho musical que ele percorra, seu trabalho é sinônimo de excelência. Nós tivemos o prazer de conversar com esse grande artista e ele nos contou um pouco de sua história, carreira, relação com grandes clubs, festivais do mundo e muito mais:

Alataj: Olá Guy, tudo bem? Muito obrigada por receber a gente! Nós soubemos que a sua família tem uma grande influência em sua história musical. De que forma eles contribuíram para a sua formação como artista?

Talismann: Olá! Está tudo bem aqui em Amsterdã. Meus pais foram clubbers quando eram jovens e também nos meus tempos de juventude e, por isso, me familiarizei com a cultura e música clubber desde muito cedo. Comecei a ouvir hardcore aos oito anos, então a música eletrônica não era novidade para mim. Meus pais principalmente me incentivaram a seguir minha paixão. Eles fizeram isso me dando certos equipamentos de som para que eu pudesse crescer e me deixar fazer tanto barulho no attick quanto eu queria.

Talismann surgiu em 2012 com uma proposta sonora mais pesada e sombria do que você apresenta em seu projeto inicial, Makam. Essa sonoridade sempre esteve presente em sua trajetória com a música ou surgiu durante a sua carreira? De alguma forma isso modificou a forma de enxergar e apresentar seu outro projeto?

Quando comecei a frequentar rave aos 14 anos, havia apenas o techno. Então, sim, esse som está voltando. Makam é na verdade algo que veio depois, com mais aprendizado. Quando pensei em Talismann, eu tinha uma certa imagem em mente sobre como deveria soar e sentir, é algo que vem naturalmente para mim.

Sobre esse assunto, mas no âmbito da produção, quando você senta no estúdio, já sabe para qual pseudônimo irá trabalhar ou deixa a sua criatividade do momento te levar livremente?

Eu trabalho muito em projetos, então, principalmente, eu sei o que vou fazer antes de mergulhar no estúdio.

Você possui uma relação muito estreita com o club De School e o label Dekmantel, duas grandes referências mundiais do mercado da música. Como aconteceu essa aproximação e qual a influência que isso tem em sua carreira?

Dekmantel e eu nos conhecemos e andamos juntos desde o início. Conheço Casper e Thomas (os fundadores da Dekmantel) já há 20 anos. Então eu estava lá desde o começo. Nós crescemos juntos e significamos muito um para o outro no sentido de lançamentos e shows. No que diz respeito ao De School, sou residente desde o começo e estou muito feliz por poder tocar frequentemente em um clube como esse. O DJ Talismann define como eles são agora, realmente originários da De School. Pude fazer muitas experiências lá e ainda estou fazendo isso.

De School em Amsterdã

Suas apresentações acontecem tanto em formato live como DJ set. Você tem preferência por algum deles? Se sim, por que?

Neste momento eu só tenho me apresentado como DJ. Sou muito mais capaz de realmente fazer minhas apresentações dessa maneira. Fazer live é divertido, mas o que acontece com o show é que eu não posso interagir de maneira tão flexível com o momento em si como quando faço quando toco como DJ.

Nós observamos que a maioria senão todas as suas faixas são lançadas pela sua gravadora, a Talismann Records. Quando você sentiu a necessidade de trabalhar nesse outro âmbito da música? Isso de alguma forma mudou sua forma de produzi-las?

Basicamente quando iniciei este label em 2012 tudo fluiu por si só. Quero apenas entregar todas as produções da Talismann sob os registros da Talismann.

O que esperar do Talismann em 2020?

Haverá dois novos lançamentos em 2020. Um será em alguns meses, o segundo no final deste ano.

Para finalizar, uma pergunta pessoal. O que é música para você?

Música é expressão, prazer, arte, relaxamento, amor e tranquilidade.

A música conecta.


RELATED POST

INSTAGRAM
SIGA-NOS