Case

Case | Crosstown Rebels

Como colocar tudo o que o Crosstown Rebels é para o cenário da música eletrônica em um perfil? Simplesmente impossível. Começo esse Case com esta declaração pois mesmo após horas pesquisando sobre sua história e releases sinto que há muito mais para explorar. Passear pela trajetória da gravadora comandada por Damian Lazarus é passear pela história da própria música eletrônica e tantos desdobramentos sonoros que ela atravessou nos últimos 18 anos.

Para se ter ideia da importância do trabalho de Damian através do Crosstown, o selo foi responsável por colocar no mapa e alavancar a carreira de artistas como Maceo Plex, Jamie Jones, Mathew Jonson, Amirali, Art Department, Francesca Lombardo e tantos outros, apenas. Lazarus tem um dedo mágico para novos e talentosos artistas e não pensa duas vezes na hora de elevar o trabalho de quem inova na música. Então a discografia é cheia de grandes hits da pista e da carreira de uma infinidade de lendas do cenário.

Hoje, o Crosstown Rebels também conta com seus irmãos mais novos, os sublabels Crosstown Digital Rebels, Rebellion e Rebelone, que são inclinados principalmente a jovens produtores e conquistaram máximo respeito de todo o cenário. Pois bem, segue minha tentativa de te contar um pouco mais sobre essa gigantesca gravadora. 

Crosstown Rebels

Fundação | 2003

Sede | Londres, Inglaterra

Fundador / Administrador | Damian Lazarus. Crosstown Rebels, Day Zero, Get Lost, sua própria carreira artística como DJ e produtor, a destreza para descobrir uma riqueza de talentos influentes e outras maravilhas do mundo da música. Todas essas conquistas e muito mais fazem de Lazarus não apenas um dos expoentes mais respeitados do House e Techno contemporâneo, mas também um de seus principais desbravadores e formadores de opinião.

Com quase 30 anos de história com o cenário eletrônico, o artista é considerado um alquimista sonoro, exímio DJ e um verdadeiro contador de histórias através de uma mistura incrível de gêneros que ultrapassam, e muito, as barreiras da música eletrônica e se enquadra nas mais diversas pistas de dança, desde um pequeno e fechado espaço, até uma reunião no meio da floresta ou no deserto. 

Perfil sonoro | Basta conhecer o trabalho de Damian Lazarus como artista para entender que não há limitações sonoras em seu trabalho e não poderia ser diferente com a Crosstown Rebels. A regra é dar voz a artistas que queiram compartilhar algo inovador, interessante e que fuja dos padrões, não importando o tempo de carreira. Sendo assim, você vai encontrar um tu-dão na sua discografia. 

Do Minimal (estilo que acompanhou os primeiros releases) ao Techno das mais diversas linhas, ao Disco, ao Prog House, ao Ambient, ao Electro e House em todas as suas frentes. É impossível descrever aqui todas as linhas sonoras que aparecem neste catálogo e acredito que seja exatamente esse desprendimento que faça do Crosstown um selo tão incrível, pois passear por seus lançamentos é também fazer uma viagem na história de novidades para o cenário desde o seu surgimento.

Principais artistas | Simplesmente não dá pra colocar todos os artistas importantes que já lançaram no label. Talvez poderia dizer que boa parte dos artistas mais importantes da história da música eletrônica já realizaram boas parcerias com o Crosstown. Mas, apenas para dar um gostinho, aí vai alguns nomes: Maceo Plex, Jamie Jones, Art Department, Jennifer Cardinni, Laurent Garnier, Craig Richards, Audiofly, Audiojack, Mr. G, Shonky, Francesca Lombardo, Laura Jones, Róisín Murphy, Tale Of Us, SIS, Mathew Jonson, Dennis Cruz, Emanuel Satie, Josh Butler, Minilogue, Guti, Dubshape, Dubfire, Alex Niggemann, Bedouin, Guy Gerber, Butch DAVI, Amirali, Djuma Soundsystem, Osunlade, Fur Coat, Ali Love, Tensnake, Seth Troxler, Yulia Nico, Scuba, Patrice Bäumel, Soul Clap, Solomun, e tantos outros, sem contar o próprio Lazarus, é claro.

10 releases que adoramos 

Sim, são dez dessa vez pois era humanamente impossível escolher apenas cinco. Saiba que mesmo assim foi realmente difícil escolher os releases. Entre clássicos da pista e escolhas pessoais do time do Alataj, aí vão eles: 

Minologue – Hitchhiker’s Choice

Róisín Murphy – Jealousy (Disco Mix)

Kele Okereke – Heartbreaker

Art Department, Soul Clap, Osunlade – We Call Love

Maceo Plex – Can’t Leave You

Pale Blue  – You Stopped Dying

Mathew Jonson – Dayz

Guti, Dubshape – Every Cow Has A Bird

Red Axes, Abrão – Sabor

Yulia Nico – Man From Ubud

Conecte-se com o label | Discogs, Beatport, Site

A música conecta.