Editorial

Editorial | Alaplay: 500 edições

A história do Alaplay se confunde com a do Alataj. Pouca gente sabe, mas o Alaplay foi o passo mais importante para que, lá no começo, o Alataj deixasse de ser uma festa para se tornar uma produtora de conteúdo especializada em música eletrônica. Foi o formato que conseguimos trabalhar com mais consistência nos primeiros anos da marca e foi onde criamos conexões importantíssimas que perduram até hoje.

O Alaplay foi tão importante para o nosso desenvolvimento que seria injusto pensar nas edições mais importantes ou mais marcantes. Todo DJ que colaborou conosco nesses oito anos de podcast – alguns mais de uma vez inclusive – tem nosso respeito e admiração e está eternizado na história do Alataj. Às vésperas da edição 500, que será lançada na próxima segunda (20) me peguei pensando nos tantos aspectos em que o Alaplay foi essencial até aqui, essa reflexão motivou esse texto para nossa série Editorial. 

A importância da consistência certamente foi um dos primeiros e mais longevos ensinamentos. Embora no começo pouquíssimas pessoas marquem na agenda que toda segunda às 17h entrará um novo mix, com o tempo elas compreendem que naquele dia e naquela hora um conteúdo novo da série será publicado. E, acredite, isso faz toda a diferença. O Alaplay foi absolutamente consistente e regular neste período, com algumas pausas e férias necessárias, mas sempre com um plano ativo. 

A necessidade de criar e respeitar padrões também foi algo que aprendemos na jornada de conteúdo do Alaplay. Padrões de descrição, de processos, padrões visuais… só assim foi possível gerir um canal de mix que chegou a acontecer duas vezes por semana. Aprendemos também que o formato ideal não existe no pra sempre e sim no por enquanto. O Alaplay já foi mensal, depois bi semanal, depois semanal. Já teve vinheta, já foi no Mixcloud, já teve diferentes tipos de ativação, sem acomodação, sempre procurando a melhor forma de conectar o conteúdo dos artistas para a maior audiência possível. 

Foi com a nossa série principal de podcasts que criamos e estabelecemos conexões que duram até hoje. Quando um artista dedica horas de sua pesquisa musical para gravar um set exclusivo pra você, esse conteúdo é uma das coisas mais valiosas que você pode ter em mãos. Essa conexão transcende o digital e se transforma em amizades, boas conversas em encontros inesperados na pista de dança e até mesmo oportunidades de negócio. 

Embora não seja apenas sobre isso, os feedbacks sobre a importância do canal também são algo que nos motivaram ao longo da última década. Artistas que conquistaram gigs, lançamentos e conexões importantes após lançarem pelo Alaplay nos mostraram que não é apenas sobre nós que um trabalho com consistência, padrão, inovação e conexões deve ser pensado, é para a comunidade em que você está inserido como um todo. 

Nos últimos anos, o canal do Alaplay no Soundcloud ficou pequeno demais para ser apenas o Alaplay. Hoje ele é, na verdade, uma extensão do Alataj, que segue com o nome de Alaplay por lá para preservar a tradição. Além do nosso podcast semanal que semana que vem chega a 500 edições, também publicamos por lá as Premieres, os radioshows, todos os episódios do Lab e séries alternativas, como a Talento, focada em artistas promissores. 

Para edição 500, buscamos alguém que pudesse representar o DJing na essência. Pesquisa, repertório, reconhecimento. Este convidado especial será revelado nos próximos dias e, embora o marco mereça uma clara atenção especial, todas as 499 edições que tivemos até aqui são a verdadeira essência que define esta história. House, Techno, Disco, Indie e todos os estilos musicais tão bem representados nesta história de oito anos que seguirá sendo escrita no plural e de forma coletiva. 

Em nome do Alataj, agradeço a todos os artistas e colaboradores que fizeram parte de cada episódio dessa jornada incrível até aqui.

A música conecta.