Sneak Peek | Atenção! Esse não é um texto sobre música eletrônica

Hoje venho aqui apresentar a nova coluna do Alataj a vocês, mas antes de começarmos, te convido para um passeio em um texto reflexivo que não seguirá a cartilha ideal (sorry mundo).

Pergunta: você já parou para pensar na complexidade do seu super-poder? Você não sabia que tem um? Sim, um poder, algo realmente transformador e que salva vidas: a musicalidade. Te explico.

Como você sabe, a música começa com o som. Esse som no tempo e espaço é só vibração e, quando nos encontra, ele entra em nosso cérebro, que sente as batidas e o percebe. Uma complexa equação, eu diria: a repetição gera o ritmo, a melodia percorre curvas feitas pelos tons, todos os componentes são decodificados pelo nosso cérebro através de uma cadeia de acontecimentos internos que nos fazem perceber cada detalhe e juntar todas as peças em uma velocidade inimaginável, transformando tudo em algo único. Adivinha no que? Sim, música.

Vamos mais fundo. Alguns seres vivos são capazes de perceber a batida, mas não tem noção de ritmo. Outros podem entender uma melodia, mas quando o tom muda, aquilo não fará mais sentido. Os únicos na Terra capazes de entender o pacote completo, até onde a ciência pôde constatar, somos nós. E voilà: eis o seu super-poder! Essa compreensão se desdobra dentro de você de forma única, subjetiva e transformadora. Afinal, quantas vezes você, no seu mau humor, colocou sua música preferida para mudar o astral?

Ela ajusta a mente para performar melhor, regula emoções, ajuda pessoas a aprenderem a falar após doenças ou acidentes, auxilia no processo de coordenação motora, reduz os danos de doenças degenerativas, dá um empurrão no processo cognitivo das crianças e é terapêutica. Difícil imaginar um mundo sem música. E há algo muito especial sobre ouvi-la que nos move. Em grupo, proporciona entendimento, pertencimento e senso de aceitação. Há estudos que dizem que haveria mais colaboração entre os grandes líderes se a música estivesse presente no background. Mas tem algo ainda mais mágico: ela se conecta diretamente com nossos sentimentos e desperta muitas sensações positivas. 

Então, eis o ponto de interseção desse texto, o motivo de estar falando tudo isso e aonde vamos chegar. E se me permitem, puxarei o texto para a primeira pessoa do singular.

Eu, Maria, me considero uma apaixonada por música, muito provavelmente como você. A música não só conecta muito pontos na minha história, mas também já me levou para muito longe. Todas as maiores aventuras que já vivi por aí envolvem ritmo, harmonia e melodia. Funciona no racional e no emocional, abre a mente, mexe com as sinapses, monta quebra-cabeças. É uma companheira para meus dias triviais e uma grande parceira de trabalho, quem dirá das festas. Ela está sempre aqui, inclusive agora enquanto escrevo para vocês. Você possivelmente se identificou com tudo isso também, afinal, música conecta de verdade, nosso lema aqui não é à toa. 

E conexão é a palavra central que me trouxe até aqui para compartilhar com vocês um plano que sempre esteve no campo das ideias, mas que nunca dava tempo para planejar e executar. É essa conexão com a música, sem barreiras, que irá nortear a Sneak Peek, nova coluna do Alataj, que acaba de encontrar um lugar ideal. A partir de agora, quebraremos o protocolo da casa e apresentaremos aqui outras camadas. Você vai encontrar Jazz, Blues, Soul, Funk, Folk, Rock, Reggae em roupagens contemporâneas e vanguardistas. Uma espiadinha em outras prateleiras para te trazer novas paisagens sonoras. Mas tome nota: como bons geeks da música eletrônica que somos, essas camadas vão flertar, sim, com o nosso mundinho. 

Nosso primeiro capítulo foi subjetivo, sim, mas não poderia ser diferente. E se você eventualmente esqueceu que tem um super-poder, eu espero que tenha te ajudado a lembrar. Use-o para aprender, sentir, conectar, transformar, inspirar. É através dessa mágica revolucionária que aprendemos mais sobre sermos humanos e convenhamos: a gente tem precisado. É com essa energia que eu encerro esse textão. Em breve voltaremos com a primeira grande história. Até já!

A música conecta.