Faixa a faixa

Faixa a Faixa | TEGRON – Dark Lullaby [O.Mentalix/Konsep Records]

Dotados de uma mentalidade industrial similar às que percebemos em lugares como Berlim ou Moscou, o duo de DJs e produtores TEGRON traz boas notícias: seu EP de estreia, pelas labels O.Mentalix e Konsep Records, reforçando sua característica de ser um duo extremo em sonoridade nas suas produções em atitude diante de pistas (veja nosso Lab com eles e entenderá). 

Com Dark Lullaby entrega um som Techno Hard e industrial penetrante, além de uma mix e atmosfera super interessantes, faixa digna de guardar em sua case. Dark Lullaby foi desenvolvido e inspirado em uma origem obscura e massiva, trazendo consigo kicks poderosos com elementos frenéticos em alta velocidade, somados aos vocais distorcidos da tradicional e conhecida ‘canção de ninar’. “Uma verdadeira melodia para apreciadores do submundo”, descrevem o EP, que ainda conta com o remix do também duo brasileiro Dostroic.

Aproveitamos esta ocasião, portanto, para entender do TEGRON um pouco da história e processos das faixas do EP. 

Dark Lullaby | O processo criativo se deu com início no desenvolvimento de um kick poderoso, que causasse impacto e uma sensação de força, a partir deste, iniciando todo o trabalho de bateria percussiva para que preenchesse toda a lacuna entre um kick e outro, dando uma sensação de velocidade e dinamismo na faixa.

Em seguida, utilizamos synths abertos e obscuros em suas camadas, fazendo com que algo desse a impressão de estar acontecendo por trás de todo aquele movimento violento. Por último, adicionamos a famosa e tradicional canção de ninar “Rock-a-bye Baby” para dar a música toda a personalidade que estávamos buscando.

Dark Lullaby (Dostroic Remix) | Este mesmo vocal foi utilizado nas duas outras faixas (Edit e o Remix feito pelo duo Dostroic) de forma distorcida e modificada, para que se tornasse algo irreconhecível, mas que tivesse todo o seu conceito aplicado. 

Ambas as faixas compõem etapas profundas do conceito inicial que temos o interesse de transpassar, é incrível ver como cada pessoa que apresentamos esse trabalho se identifica intensamente com alguma delas.

A música conecta.