Iconic

Iconic | Culture Beat – No Deeper Meaning [Dance Pool]

Já dizia o velho ditado, recordar é viver. E já não é segredo de que nossa Iconic, vai muito além de apenas trazer luz às recordações. Aqui revivemos clássicos, músicas que fizeram histórias, e que são eternizadas nas pistas de hoje, independente da geração de seu lançamento. Se você é um amante da House Music e acompanha a jornada do estilo desde os tempos de seu auge primário, certamente a faixa de hoje, já foi trilha sonora dos bailes de porão, ou está em alguma coletânea do estilo em algum vinil de sua coleção. 

Nossa escolhida de hoje está no exato ponto de encontro da House Music noventista, com o boom do Eurodance. Ou ainda, podemos rotulá-la como uma das grandes representantes do Hip House. Estamos falando de No Deeper Meaning, uma das produções lendárias do grupo alemão Culture Beat, que abalou a geração 90 com uma bela lista de hits que cruzaram as fronteiras do underground.

O Culture Beat é daqueles grupos que foram formados por acaso da vida. O alemão Torsten Fenslau, co-founder da banda, tinha tudo para seguir a carreira de arquitetura. Felizmente, após se arriscar algumas noites como DJ na boate Dorian Gray – em Frankfurt – ele conheceu Jens Zimmerman e Peter Zweier, e mudou a rota de seu caminho profissional apostando as fichas na formação do grupo musical. 

Em 1989, quando nos Estados Unidos o House já vinha na crista da onda, as referências já cruzavam o Atlântico e também tomavam conta da Europa, inspirando então. Porém o primeiro single da banda, Der Erdbeermund, trazia sim a referência do House em seu instrumental, mas ainda com as referências fortes do Krautrock alemão e no Pós Punk mais melancólico, que já estava em seu declínio. A repercussão do single não foi aquelas coisas, porém foi um ponto crucial para a virada de chave da assinatura do Culture Beat.

Então, o trio entrou em contato com o rapper norte-americano Jay Supreme – que por acaso, estava na Alemanha à serviço do exército. A química foi fulminante. Jay passou a compor a letra e os arranjos da faixa, e entrou com o poder de sua voz, que por sinal, tinha bastante referência no Hip House americano. Junto a ele, Lana Earl foi peça chave para o complemento de voz, que soou como uma cereja do bolo para as produções seguintes. O time então estava reformulado, e pronto para duas faixas que foram alicerces para o sucesso do Culture Beat a nível mundial.

O ano já era 1991, quando vieram na sequência I Like You – faixa que já trouxe posição de destaque nos charts musicais mundiais – e a própria No Deeper Meaning, o primeiro estouro da banda, que rompeu as fronteiras geográficas. Escrita por Jay Supreme e Nosie Katzmann, a música é sobre uma mulher que vai a uma boate e não quer começar um relacionamento, ela só quer dançar. O refrão inclui o sample da música Change do Tears for Fears, e vem acrescido de uma poderosa linha de piano, com batidas que rompem o curso linear em diversos momentos do arranjo. As rimas de Jay Supreme e a voz de Lana Earl cantando o refrão, é um apreço à parte. 

No Deeper Meaning veio em três versões, Club Mix, Air Play Mix e House Mix – além de outros remixes posteriores -, com variações na pegada de pista e na presença mais evidente dos vocais. A faixa atingiu a terceira posição dos charts canadenses e conquistou os críticos musicais da Billboard, como uma das grandes produções do Hip House da virada do começo da década. 

Nossa icônica também abriu portas para o nascimento do maior sucesso do grupo, que viria dois anos depois, e que se tornou uma faixa lendária do Eurodance. Quem se lembra de Mr. Vain? Bom, essa é assunto para outra edição da Iconic.

https://youtu.be/AER3Zg5S200

A música conecta.