Iconic | Kerri Chandler – Mommy What’s a Record

Salve, salve meus queridos e saudosos leitores da coluna mais empoeirada do Alataj, essa maravilha chamada Iconic. Após um breve período relembrando faixas que tinham cunho mais comercial e com menos roupagem de pista, chegou a hora de falarmos de música feita para o baladão. 

Não é a primeira vez que esse mago do Garage House aparece aqui em nossa coluna, mas, caso você não se lembre, Mr. Kerri Chandler fez sua estreia na Iconic em outubro passado com nada menos nada mais que You’re In My System, uma de suas músicas mais famosas e que foi lançada pelo clássico label Ibadan. 

O bichão já lançou altas braba além de You’re In My System e hoje vamos falar de um som dele que saiu em 2010 e que rapidamente virou um hit cult entre os DJs de House, Mommy What’s A Record, lançada no EP The Thing For Linda 2010, pela Downtown 161. O disco por si só é uma obra de arte, onde as quatro faixas foram e ainda são ostensivamente tocadas por muitos DJs, entre elas House is House, talvez a mais conhecida por todos.

A música de hoje da Iconic é a faixa A2 do disco, e vem na sequência de House is House. A faixa começa com o Kerri Chandler em pessoa contando sobre um episódio onde uma criança o viu com uma pilha de discos embaixo do braço. O garoto, espantado, pergunta a sua mãe o que era aquilo embaixo do braço do tal homem e ela responde: discos! Foi quando então, o nome da música – e com certeza a ideia – surgiu, após ser respondido pela sua mãe o garoto novamente pergunta: Mommy What’s a Record?

Como de se esperar, a programação da bateria é puramente New Jersey, ou para os menos entendidos, Garage House. Kick mais abafado, repiques de caixa e linhas de prato mais recortadas e menos retilíneas são as características de Mommy What’s A Record. Os sintetizadores são herdados do Deep House, com o cutoff mais fechado e um envelope mais rápido, fazendo com que eles sejam profundos e façam um papel mais sóbrio na música.

Outro fato muito legal relacionado a esse acontecimento que rolou com Kerri Chandler é que no disco tem uma frase muito forte e que eu não consigo concordar mais por falta de porcentagem, Records are forever held on to, files are not ou em tradução literal Discos são para sempre e arquivos não. 

Acervo pessoal Stanccione

Você nunca ouviu essa faixa? Eu te digo que é impossível e posso provar. Não vacila e da play nessa faixa que de longe, é Iconic!

A música conecta.