Minha primeira gig

Minha primeira gig | Madson Carpenter

O talento catarinense, que vem fazendo sucesso por terras europeias, chega ao Alataj para falar de sua primeira gig. Madson Carpenter é dono de uma personalidade musical forte, com base em Acid Techno e Industrial, e entre suas maiores influências está Amelie Lens, que faz jus ao seu estilo. 

Hoje radicado em Lisboa, além de DJ e produtor, Madson também é head de duas labels, a Noise e NAV’Sound, além de já ter conquistado residência em três coletivos: Techno Addicted, The Cube e Dièze, provando que sua paixão por fazer a pista sorrir e dançar está valendo a pena. 

Ele, que já dividiu os decks Europa afora com grandes DJs e produtores como Cleric, Pan-Pot, WarinD e Kozlov, está construindo uma carreira sólida fora do país e não vê a hora de voltar e se apresentar no Brasil. Enquanto não rola, Madson conta pra gente como foi sua primeira apresentação. 

Madson Carpenter

Minha primeira gig foi em dezembro de 2017. Na época eu lembro que não me sentia muito preparado, principalmente porque o convite que recebi da LXMusic, academia que me deu uns toques profissionais quando estava começando a estudar sobre música, me falou que eu tocaria no evento de 12 anos do label, onde o headliner era a Charlotte de Witte! Apesar de ser numa pista secundária, o evento era muito grande e eu fiquei bastante nervoso para o meu set.

Naquela época meu som era diferente de agora, mas ainda dentro do Techno Peak Time. Mesmo sem muita preparação, aceitei o convite e fui tocar no evento. Lembro que foram muitos amigos meus no dia, todos ansiosos por me ver tocar pela primeira vez, enquanto eu, super nervoso, só pensava que talvez ainda não estivesse tão preparado para subir ao palco.

Por fim, quando comecei meu set tudo correu bem, eu estava tão nervoso que nem conseguia olhar para a pista, e ainda quando cheguei lá percebi que não tinha passado minhas músicas pro rekordbox, o que me dificultou ainda mais, já que eu não tinha tanta preparação.

Mesmo com algumas “sambadas” no mix, o set foi bom o suficiente para ser convidado novamente pela LXMusic, onde em fevereiro viria a encerrar a segunda pista do evento de Pan-Pot em Lisboa. Essa sim sinto que foi minha primeira gig, pois foi onde eu realmente me senti preparado para tocar, e me esforcei muito para fazer um bom set.

A música conecta.