Após 30 anos, Joey Negro anuncia mudança de nome. Entenda

Na segunda-feira (20) presenciamos o que muito provavelmente seja o início de uma revolução dentro da indústria da música eletrônica. Como noticiamos aqui no Alataj, The Black Madonna passou a se chamar The Blessed Madonna em virtude de uma petição online criada pelo artista Monty Luke que, apoiado por milhares de pessoas, trouxe à tona uma irresignação da comunidade negra de tempos: ser o nome utilizado pela americana ofensivo e uma apropriação cultural. O acontecimento ecoou pelo cenário da música de forma muito expressiva, não apenas pela atitude da artista, mas principalmente por levantar uma questão que não era tratada com a profundidade e o respeito necessários.

Apenas um dia após a declaração de The Blessed Madonna, outro artista consagrado da House Music se pronunciou espontaneamente para também modificar seu nome artístico. O inglês Dave Lee, mundialmente conhecido como Joey Negro, decidiu não utilizar mais o pseudônimo que o acompanha desde 1990 em respeito à comunidade negra, contando em seu relato como se deu a escolha do nome há 30 anos: “Eu tinha uma pilha de discos ao lado da minha mesa de trabalho, entre eles Pal Joey, “Reach Up To Mars” e J Walter Negro, “Shoot The Pump”. Anotei alguns nomes do vinil e os coloquei um ao lado do outro.”

O artista complementa que “naquela época, eu nunca imaginava o nome como algo de longo prazo, que eu seria chamado como DJ ou seria associado pessoalmente” e que já não se sentia confortável utilizando-o, tentando parar de usá-lo algumas vezes, porém as dificuldades em estabelecer um novo nome o levaram a continuar. Lee recebeu algumas mensagens que afirmavam ser inaceitável utilizar uma referência diversa à sua cor da pele, fato que ele concorda e o fez descartar completamente o pseudônimo, atendendo a partir de agora por seu nome de batismo, Dave Lee.

“Sinto muito por ter causado qualquer ofensa. Toda a minha vida tem sido sobre música, mas particularmente música negra. Eu amo Soul, Funk, Disco, Jazz de uma maneira que não consigo articular em palavras e tentei defendê-la com as melhores intenções. Estejam cientes de que as mudanças não são instantâneas em todos os lugares.”

A música conecta.