Storytelling

Do protótipo a expansão: o poder do intercâmbio de talentos na jornada da Prototype Music

Define-se “protótipo” como “primeiro tipo ou primeiro exemplar” ou “exemplar único feito para ser experimental antes da produção de outros exemplares” — classificações que realmente parecem cair como uma luva ao que a Prototype Music vem construindo ao longo de seus pouco mais de dois anos de atividade. O selo brasileiro fundado por r4ne e Colussi, os criativos por trás do Innure, aparentemente engatou uma sexta marcha e desde o primeiro lançamento em abril de 2020, demonstra uma coesão e constância difíceis de discordar levando em consideração que a label já recebeu suportes de Innellea, Maceo Plex, Magdalena e Richie Hawtin, entre outros pontuais nomes.

Com o Techno melódico presente em sua essência, mas abrindo-se para outras facetas musicais como Peak Time e Indie, o label construiu um catálogo preciso e poderoso, que já chegou até o 53º lançamento — até o momento de publicação deste Storytelling. Entre talentos nacionais e internacionais, nomes como Abstraal (França), Binaryh, BLANCAh, Dizharmonia (Grécia), Who Else, L_cio, Renato Cohen, Sarcasmo (Espanha) estão sob o guarda-chuva da Prototype, que com essa combinação entre expoentes e produtores bem estabelecidos na cena, forma uma espécie de ponte e intercâmbio musical fundamentais para a nutrição da cena. 

Somando mais de 100 artistas de 12 países, essa assertividade não é ao acaso. Os fundadores estão envolvidos na música eletrônica alternativa há mais de dez anos e observaram de perto o desenvolvimento de diversos gêneros e subgêneros, mas principalmente do Melodic Techno. “A música é cíclica e temos esse entendimento, ela se transforma e depois volta. O fato de estarmos envolvidos totalmente nessa vertente durante muito tempo ajudou a ter esse olhar mais preciso. E quando digo preciso não é como se soubéssemos de tudo, longe disso. Mas saber reconhecer os talentos que temos no Brasil e no mundo, diferenciar um bom trabalho dos demais, com certeza foi decisivo na Prototype”, reflete r4ne. 

Após a expressiva evolução como selo musical, não levou muito tempo para que a marca se transformasse também em uma label party — chegando a algumas das principais pistas do Brasil como D-EDGE e El Fortin e, em breve, da Europa. Isso porque, com parte do time baseado na Espanha, o selo desenvolve o trabalho multilateralmente. E os planos não param por aí: “estamos trabalhando também em nosso plano de fazer a nossa própria festa independente, que era nosso objetivo quando começamos (pausado pela pandemia)”, conta Colussi.

Se você quiser sentir um pouco da força melódica e expressiva do selo, neste sábado, dia 6 de agosto, a Prototype assume a pista do D-EDGE em mais uma edição de seu showcase em uma das principais pistas paulistanas. Dessa vez, Binaryh, Colussi e L_cio são os representantes da Prototype. “Sem dúvida é um club que todos da equipe da Prototype tem grande carinho, nos sentimos em casa lá. Nosso primeiro showcase no club foi inexplicável, tinha tanta gente e uma energia tão boa, que essa edição entrou pro hall das melhores festas que já participamos, tanto como artistas, quanto como público também. Estamos muito felizes por ter a oportunidade de estar lá mais uma vez e com um line-up de artistas pelos quais temos a maior admiração e respeito”, completa r4ne.

A concepção musical desenvolvida pelo selo não só faz jus ao seu nome, mas desponta como uma preciosa movimentação no panorama musical alternativo, agregando força a artistas emergentes e apresentando trabalhos distintos. Não à toa, o fortalecimento da Prototype é não só coerente, mas um pavimentador seguro para voos cada vez mais altos, resultando organicamente em um trabalho cada vez mais assertivo e especial. Abaixo, relembre o mix do Innure em sua primeira apresentação no D-EDGE. 

A música conecta.