Storytelling

Palms Trax e Job Jobse: o que os une e os torna especiais?

Palms Trax e Job Jobse. Inglaterra e Holanda. Um atuando amplamente com produções musicais, o outro desempenhando um papel primoroso como manager da incrível label party Life and Death. Seus perfis soam totalmente discrepantes, não? Mas a vida tratou de cruzar os caminhos dessas duas potências — que desde então se uniram através de aspectos que trago à luz neste texto.

Palms Trax é a alcunha mantida pelo jovem criativo Jay Donaldson. Expandindo as possibilidades entre o House e Disco, seu primeiro lançamento é via Lobster Theremin, mas pouco tempo depois, o selo Dekmantel já entraria para a lista de gravadoras que o produtor alcançaria. Em período pandêmico, buscando espaço para produções com mais espontaneidade, Palms Trax inaugurou com o EP Petu sua gravadora, a CWPT (Cooking With Palms Trax) — projeto que inicialmente era um programa de rádio mensal. 

Quanto à Job Jobse, não há descrição que o sirva melhor que ousado — em muitos aspectos. Essa ousadia foi o que o fez bater na porta de um de seus heróis e grandes inspirações, Dixon, pedindo emprego na Innervisions — e ele conseguiu. Mas foi no lendário clube Trouw (primeiro em Amsterdam com permissão para programações com 24 horas de duração), que sua carreira de DJ tem início evoluindo para uma residência que o conduziu aos qualitativos de “herói holandês” e “rei da rave”. 

Apesar de atuações bem distintas, traços pontuais os unem, criando laços musicais que funcionam e os levam a essa confluência musical precisa, que culmina em gigs icônicas lado a lado pelo mundo. O primeiro back to back da dupla é datado em 15 de abril de 2019 (como mostra a publicação de Jobse) sendo a mais recente no mês passado, em passagem pelo club londrino Phonox.

Mas o que, de fato, explica essa sintonia entre protagonistas com perfis de atuação tão distintos? O encontro, e consequentemente sintonia, para embalar as pistas pode ser explicado, em primeiro lugar, a partir da postura de se desprender de moldes, deixando a criatividade musical fluir. Pode reparar: quantos estilos musicais é possível encontrar ouvindo sets de ambos? A profundidade musical da dupla permite essa exploração acentuada que impossibilita (ainda bem) a aplicação de enquadramentos fechados aos deejays.

Outro ponto de convergência é o apego ao tradicional, sem abandonar o olhar atento à contemporaneidade. Ambos também são donos de técnicas de mixagens exemplares, um “pacote” de atributos pontuais que os direcionam à queridinhos das pistas do Dekmantel pelo mundo — os catapultando para rápidas ascensões.

Seis sets (três de cada um) foram selecionados e dispostos ao longo deste Storytelling para elucidar essa potência cambiante —  mas completamente harmônica — que formam as discotecagens penetrantes e correlacionadas de Palms Trax e Job Jobse. Aproveite!

A música conecta.