Storytelling

Tribaltech: reconstruindo as origens junto à cena independente

Pela etimologia da palavra, Gênesis deriva do grego “génesis” e relaciona-se ao significado da origem, criação, geração e nascimento. Ou ao mesmo tempo, recobra o sentido de uma série de circunstâncias que levam à criação de algo. Mergulhando no conceito profundo da palavra, o ano de 2022 marca um retorno às origens de um dos principais festivais de música eletrônica e multiculturalidade do Brasil. A Tribaltech, após 21 edições, celebra neste ano um verdadeiro culto às suas origens, as quais fizeram dela um evento mundialmente respeitado e amplamente reverenciado no circuito eletrônico global.

A “TT”, como podemos carinhosamente chamar, surgiu em 2004 como fruto da paixão comum de Jeje e Dudu Marcondes, tanto pela música eletrônica de qualidade, como também pela diversidade cultural que um mesmo espaço poderia abraçar. Sempre focados em fugir do óbvio, a dupla não apostou as fichas em um festival como outro qualquer. Uniu as tribos, do Techno ao Trance, abraçou os mais diferentes estilos musicais trazendo junto a música orgânica, Black Music, o Hip Hop e demais manifestações de arte e cultura, e estabeleceu um concentrado “multicult” que se tornou gigante e sólido, ao longo de todos esses anos. 

Com edições marcantes como as de 2012 e 2014 – The End e Reborn -, a TT pode dizer que já recebeu os principais artistas do mundo, em termos de música eletrônica, além de grandes estrelas da música nacional, sempre com íntegro profissionalismo e qualidade inconfundível. De Kevin Saunderson e Boris Brejcha, a Alok ,Criolo e Planet Hemp, de Soul Clap e Magda, a Loud e Hercules And Love Affair, o destaque da Tribaltech sempre foi sua potencialidade na diversificação de atmosferas. E claro, a 22ª edição que já está batendo na porta, não poderia ser diferente.

Programada para o próximo sábado, a Tribaltech Genesis é, como citado acima, um ritual às raízes de sua criação. Tanto é que o local escolhido, foi a consagrada Fazenda Heimari – em Piraquara – espaço que faz parte das origens e consagração do festival. Lá, onde a natureza se torna uma atrativo por si só, terão nove palcos distribuídos pelos 150.000 m² de espaço. E claro, o evento será embalado por uma diversidade de ritmos Rap, Black Music, Breakbeat, Drum & Bass, Soul, Samba, Pop, Rock, brasilidades e performances artísticas.

Big names como Boris Brejcha, Nastia, Regal, Enrico Sangiuliano, Anetha, Kanio, Loco Dice, DJ Marky, Reality Test e Capital Monkey são apenas alguns dos 70 artistas que protagonizarão as mais de 16 horas de festival neste sábado (14). O Techno e suas ramificações tem um recorte especial nesta edição, testando as potências do soundsystem nos palcos Tribaltech Stage e Timetech, para a alegria dos techneiros de plantão. Porém, palcos como o já consagrado Supercool, estarão a postos com os grooves da House music afiados sob a direção de Gromma e Biel Précoma, apresentando artistas nacionais e grandes nomes internacionais da vertente, como The Ghost e Ron Basejam

Porém, um dos grandes destaques para essa edição  – que promete ser histórica -, é a forte presença do cenário nacional independente. Label parties como a curitibana Covil – que promete vir forte com a representatividade Queer, tanto no line-up como nas performances -, a poderosa Troop – que completa o peso da House Music no festival -, o Freestyle – sob o comando de DJ Anaum e Schasko na bandeira da Black Music e claro, free style – e o mais novo Jazz Inahouse – que será um espaço inédito para recarregar as energias -, terão palcos totalmente destinado aos seus artistas, o que reforça o compromisso da TT com o underground brasileiro.

Ainda, não podemos deixar de citar o 3DTTRIP, que apresentará um verdadeiro mergulho psicodélico, seja no visual ou nas atrações musicais voltadas ao Trance. O Organic Stage também, que faz parte da história do festival, dessa vez apresentará nomes como Dow Raiz, Janine Mathias e Machete Bomb, trazendo aquele frescor sonoro extremamente pertinente à multiculturalidade da TT.

Voltar às origens, requer um cuidado especial com a própria trajetória e um respeito às memórias. E é exatamente isso que a Tribaltech busca promover no encontro triunfal deste próximo sábado. Prontos para esse tão esperado parque de diversões? Ainda restam ingressos, confira via ingresse-me.

A música conecta.