Who?

Who? Ash Lauryn

Das pérolas que o Boiler Room revela em suas emblemáticas edições, a nativa de Detroit Ash Lauryn mostrou ao mundo a leitura genuína da essência mais pura do House originário de sua cidade natal, em um episódio especial em Philadelphia, na Subsurface Warehouse Party. Nesta introdução, destaco em especial esta apresentação de Lauryn pois foi através desta que pude conhecer o incrível trabalho da artista, hoje radicada em Atlanta, e que tem sido uma importante voz, ativa e representativa, da comunidade de artistas negros norte- americanos.

Apesar de se inspirar nas raízes musicais e na forte cultura de Detroit, foi após se mudar para Atlanta que Ash Lauryn imergiu-se completamente com o universo da música eletrônica. Curiosa por conhecer a cena local de sua nova morada, a artista conheceu Kai Alcé e Vicki Powell, figuras-chave do cenário House da cidade e que abriu as portas de Ash para o mundo da discotecagem. 

Frequentando as festas e festivais da cidade, Ash começou a treinar suas mixagens por conta própria em casa até que despertou a curiosidade de sua vizinha, que no caso coincidentemente era Vicki Powell, veterana da cena Dance underground de Atlanta e a mente por trás do Deep South Collective. Foi então que em 2016, à convite de Powell, ela fez sua primeira aparição nos palcos eletrônicos em um festival da Deep South na Cheeshire Bridge, começando assim sua brilhante jornada como DJ.

Encantada pelos grooves do House e toda a história por trás do estilo, Lauryn foi construindo sua assinatura com batidas marcantes e com os pés fincados no estilo originário de Chicago, misturado também às referências do House trabalhado pelos artistas de Detroit. No entanto, Ash notava a ausência de representatividade de artistas negros na cena local de Atlanta, bem como na cena geral norte-americana. Embora o pioneirismo de Juan Atkins, Derrick May e K-Hand, o cenário contemporâneo não contava com a presença de novos talentos de artistas negros que representassem a cena, sobretudo de mulheres negras.

Foi então que em 2017 Lauryn deu start ao Black & Underground, plataforma de divulgação e visibilidade ao trabalho de artistas negros da cena eletrônica norte-americana, propagando conteúdos através do portal e do programa mensal na aclamada NTS Radio, onde Lauryn comanda as apresentações ao lado de convidados especiais em cada episódio, como Kay Alcé, Beige, Don Crispy, Christian Tokyo, Deon Jamar e muitos outros. Além da apresentação de trabalhos de artistas, o Black & underground também tem o propósito de levantar discussões e reflexões encorajando demais artistas negros a assumirem suas liderenças representativas com o objetivo de romper as barreiras das estruturas racistas predominantes da indústria musical.

Hoje, completando cinco anos a frente dos decks, Lauryn tem um vasto currículo de apresentações em diversos palcos dos Estados Unidos e Europa, estreando nas pistas de clubs consagrados como Trésor em Berlim e Ovas Space em Londres, além de dividir os palcos ao lado de grandes nomes como Joe Claussell, Marcellus Pittman e Chez Damier

Com uma pesquisa rica e direcionada ao resgate das raízes negras do House, os sets de Ash Lauryn são a experiência do mais puro groove, carregado de história, significados e resistências.

A música conecta.

Compartilhe