Case | All Day I Dream

Poucos artistas da música eletrônica possuem uma carreira tão marcante e cheia de desdobramentos quanto Lee Burridge. O britânico está no mercado há mais de três décadas e seu som já percorreu todo tipo de pista, desde formaturas e casamentos, enquanto ainda aprendia a arte da discotecagem, até os principais destinos eletrônicos do globo, com destaque para sua presença cativa no palco Robot Heart do Burning Man

Toda essa vivência deu a ele a expertise necessária para criar uma plataforma própria para a disseminação de sua musicalidade, a gravadora All Day I Dream. O label foi fundado em 2011 com o apoio do alemão Matthew Dekay e teve como base de sua identidade as novas vertentes musicais adotadas por Lee Burridge na época, que fugiam do seu clássico acid house, e texturas musicais exploradas por Dekay a partir de pesquisas sonoras feitas ao lado do produtor Jimmy Vallence (aka Bob Moses). Essas nuances musicais que formam a espinha dorsal da ADID até hoje caminham entre o house e o techno, extraindo as camadas mais melancólicas e emocionais de cada um desses gêneros para formar uma sonoridade melódica e fluída. 

Após o verão de 2016, Matthew Dekay deixou a linha de frente da gravadora e passou a integrar apenas o seu casting de artistas, que desde então é gerenciado exclusivamente por Burridge. E por falar em casting, uma das características mais interessantes da ADID é o senso de família estimulado por seu mestre criador entre todos os artistas que lançam suas produções por ela, entre os quais podemos encontrar nomes como Hoj, Sébastien Léger, YokoO, Lost Desert e o brasileiro Hauy.

Os lançamentos assinados pela ADID possuem grande peso dentro do universo sonoro em que estão inseridos e são normalmente bem recebidos pela crítica, mas o que realmente levou o nome da gravadora para os quatro cantos do mundo foi a combinação de um conceito muito bem explorado nos releases rumo a atmosfera musical proposta por seus eventos. Os primeiros showcases aconteceram em um rooftop no Brooklyn, em Nova York, no mesmo ano de lançamento da marca, para levar até os fãs uma experiência completa da identidade do label, unindo música e artes visuais.

O sucesso das primeiras edições foi tão grande que logo outras cidades pontuais do circuito internacional começaram a ser palco dos showcases. Los Angeles, Londres e Berlim foram as primeiras a receberem e hoje a festa percorre cidades espalhadas pelo mundo todo. Em outubro a ADID retorna ao Brasil para um fim de tarde que promete ser inesquecível no Garden do Warung Beach Club. Em paralelo às festas, a All Day I Dream também tem intensificado o ritmo de lançamentos nos últimos anos e tem mantido um calendário repleto de produções de artistas consagrados e também oferecendo espaço a novos talentos. Vida longa ao conceito ADID! 

A música conecta.


RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS