READING

Fran Bortolossi abre o baú e relembra momentos ine...

Fran Bortolossi abre o baú e relembra momentos inesquecíveis da história da Colours

Uma festa com a importância da Colours tem muitas histórias pra contar. DJs, público, staff: cada parte envolvida nessa bela trajetória pode somar de maneira diferente num compilado de memórias que formam esses 9 anos de vida. Relembrar esses momentos é uma ótima maneira de entender as razões que levaram a festa a se tornar referência de excelência musical dentro e fora do Rio Grande do Sul.

DJs que já passaram pela Colours certamente contribuiriam muito para essa lista. O público nos presentearia com noites e sunrises épicos, mas provavelmente ninguém obteria maior êxito nessas lembranças do que Fran Bortolossi. O head da festa possui uma carreira bastante conectada com o desenvolvimento da Colours e hoje levanta a bandeira da festa pelos 4 cantos do país e da América do Sul. A nosso convite, Fran relembrou alguns momentos especiais da história da Colours às vésperas de sua edição de 9 anos. Dá um confere:

Com a palavra, Fran Bortolossi:

Em 9 anos e mais de 100 eventos, fica um pouco difícil pra gente elencar 5 momentos. Então vou dividir um pouco por ano e dessa maneira fica um pouco mais fácil falar do nosso crescimento e amadurecimento.

O ano de 2012 teve alguma das festas mais insanas da nossa história. Acredito que também foi quando consolidamos a marca entre muita gente, depois de alguns vários eventos de muita dedicação e trabalho.

Selecionei 4 edições que rolaram nesse ano e foram memoráveis. A primeira apresentação do Kolombo em 2012 no nosso aniversário de 3 anos. Até então, um nome pouco conhecido no Brasil, que chegou e fez um set que hoje é lembrado por muitos. Tocou cerca de 7h no Havana e conquistou a pista inteira.

Uma edição com Doriva Rozek, Juan Rodrigues e Dubshape, onde toquei b2b com Doriva até as 2 da tarde de um domingo. Lembro que tinha uma feira na rua da frente, as pessoas passando, e a pista lotada até a tarde de domingo. Também tivemos a primeira apresentação do Phonique, que tocou por quase 8h, e fez um lindo set, um dos mais legais que já ouvi na nossa festa, com direito a vários clássicos da house, incluindo a versão original de Lil Louis – French Kiss.

Não podemos esquecer de uma squat party em Farroupilha, com local divulgado somente no dia e  Daniel Bortz como headliner. Lugar insano, festa insana. Acredito ter sido uma das primeiras squat parties que rolaram no RS.

A primeira edição no Jockey Clube, nossa atual casa, com Christian Smith. Foi um baita set, um dos primeiros headliners de techno que trouxemos. A festa bombou, porque o Jockey, para muitos que cresceram no início dos anos 2000, era um pico clássico de festas em Caxias do Sul.

Em 2014, a vinda de Dubfire. Até hoje um dos shows mais comentados da história do RS. Uma sexta-feira que fez história, com Dubfire com tempo previsto de set de 2h, onde acabou tocando 6h e saiu falando que a Colours era a melhor festa do Brasil.

Não tem como não lembrar das duas edições do festival que fizemos. Duas entregas ótimas pro público, uma delas numa semana de chuva 100% do tempo, e praticamente demos sold out. A segunda edição, com 3 pistas, mais de 20 artistas. Até então, naquele momento um festival somente de house & techno era uma novidade no RS.

Por último, a apresentação do Chris Liebing ano passado. Um dos melhores sets de techno que ouvi na minha vida e que arrancou do próprio o elogio dessa festa ter ficado entre as 2 melhores gigs de 2017 dele, ao lado de Austin no Texas – vários pedidos para um retorno em que ele possa tocar a noite toda em nossa festa.

Octave One, infelizmente eu precisei viajar antes de vê-los tocar, mas recebi mensagens de amigos, que foi uma das melhores experiências de música eletrônica da Colours – acredito que tenha sido incrível.

São muitos momentos inesquecíveis que poderiam estar nessa lista também, mas de certa forma esses são especiais por serem lembrados constantemente não só por mim, mas por todo público da Colours. Espero que possamos escrever mais um lindo capítulo em nosso próximo encontro. 

A MÚSICA CONECTA.

 


Alan Medeiros é publicitário, sócio-fundador do Alataj e nome por trás da Beats n' Lights Management.

RELATED POST

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
SIGA-NOS