Dubphone começou sua carreira 10 anos atrás em pequenos clubes de Bucarest como o Silver Afterhours, Mansarda e Ceai Dançante. Em 2011 ele começou a tocar em grandes clubes como Tresor em Berlim, a festa Revolution do Carl Cox na Space Ibiza e no Sonar OFF em Barcelona – sua primeira vez lá foi em 2013 e ele tocou todos os anos desde então. Essa semana ele lançou EP novo pela Totoyov, label de “outro mundo” que nunca cansa de testar os limites sonoros dos seus ouvintes com sons e referências fora da casinha. Ouça os previews da faixa abaixo:

Magdalena, a faixa-título, tem uma base minimal, estilo que Dubphone domina com maestria, porém com um elemento surpresa do bpm mais acelerado e uma construção que foge do quadrado fechado do estilo. Já o remix da mesma de Jamie Lie A Kwie adiciona uma certa fluidez para o som, com um sample que transcorre pela faixa e permeia as batidas mais duras e exatas da produção original. A segunda faixa original, Tuesday 13, é um pouco mais agitada, com uma distorção de som sutil no final de cada batida combinados com a adição de um sample bem orgânico e melódico na segunda metade da faixa, o que cria um certo no suspense no ar. O remix de Aninha faz uma releitura com maior desenvoltura da faixa, trazendo elementos do deep house para criar uma faixa mais dançante em uma construção não tão linear quanto a de Dubphone.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

O EP contou com o apoio de grandes nomes como da tINI no festival Sunwaves, que rolou no começo desse mês na Romênia e de Ben Hoo na Get Physical Sessions, ambos tocaram o remix de Magdalena de Jamie Lie A Kwie. É interessante o intercâmbio cultural que vêm acontecendo entre o Brasil e a Romênia, se fortalecendo cada vez mais com eventos como o Subdvision que rola essa sexta em SP e tem line up totalmente voltado para o minimal, estilo que predomina no país do leste Europeu. A música conecta as pessoas!