A política de direitos autorais é uma verdadeira piada. Não tenho medo de dizer isso, ela realmente é. Não me refiro ao direito de ter produções de qualquer segmento protegidas por uma lei, isso é um principio base da nossa sociedade e serve para qualquer meio de trabalho. Critico duramente a forma como essa lei se aplica, principalmente em plataformas como YouTube e Soundcloud.

Há alguns anos atrás, quando eu descobri que música eletrônica era muito mais do que David Guetta e Avicii, encontrei no YouTube o Majestic Casual. O canal alemão era um dos poucos a utilizar a fórmula padrão de imagem arte estática + música. Com o tempo, diversos desses apareceram, eu mesmo já pensei em ter um. Voltando ao que interessa, aquele canal foi pra mim durante muito tempo uma biblioteca, onde eu podia encontrar artistas novos – totalmente fora do meu radar – e explorá-los nessa imensidão chamada YouTube. Lá descobri o Sango, por exemplo.

Ontem, quando vi um das artes do Majestic – que também é uma gravadora atualmente – estampada em alguns portais gringos, pensei que havia acontecido algum lançamento importante por lá. Disclosure, Kaytranada e SBTRKT são alguns dos nomes que o canal já realizou parcerias. Mas não, dessa vez a notícia era bastante ruim. Uma mensagem informava que a conta havia sido deletada por razão de uma série de infrações na política de direitos autorais.

Voltamos lá no começo desse texto, onde digo que a política de direitos autorais é uma piada. Se eu tivesse a chance de fazer uma pergunta para os responsáveis por essa bagunça toda que tem acontecido esse ano, ela seria a seguinte: “Vocês sabem o significado da palavra coerência?”. A imagem que eu tenho desses senhores que cuidam dos direitos autorais das grandes gravadoras é de meia dúzia de descapacitados escolhendo a dedo quem eles vão atingir. Lei é lei e serve para todos desde que me conheço por gente. Se a conta do Majestic Casual foi excluída, por qual razão as diversas contas IGUAIS que existem no YouTube continuam lá, intactas?

Provavelmente nem eles seriam capazes de dar uma resposta convincente. Esse “robô” responsável pelas buscas de faixas protegidas é um dos mecanismos mais burros e patéticos que a tecnologia humana já inventou, mas isso pouco importa agora, devolvam o Majestic Casual, parem de tomar medidas idiotas, arrumem uma lei eficiente para isso e por mim fica tudo ok. Enquanto isso, não coloquem a mão onde não forem chamados. Obrigado.