Motor City Drum Ensemble: uma máquina humana

Danilo Plessow, a mente, corpo e alma por trás do Motor City Drum Ensemble é um DJ com grande sensibilidade e amor pela música. Original de Stuttgart – cidade dos motores: fábrica da Mercedes, Porsche, Bosch e outras se encontram lá – Plessow sempre foi apaixonado por música e toca bateria desde os 6 anos de idade. Com 11 começou a produzir no porão de casa e com 16 lançou seu primeiro album (e também 7 discos de 12 polegadas, diversos remixes e compilações.) Em 2007 lançou sua própria label com seu amigo Pablo Valentino e explodiu para valer mesmo na cena do house em 2008, com o primeiro release de “Raw Cuts” uma série de discos (tem 6, por enquanto) com alguns dos singles mais tocados nas pistas mundo afora.

O nome Motor City Drum Ensemble surgiu de diversas referências pessoais: Motor City como uma homenagem à Stuttgart, mas também à Detroit (nos Estados Unidos, Detroit é chamada de Motor City), cidade que sempre serviu de grande inspiração sonora para o DJ; Drum pois foi o instrumento que o introduziu à musica e Ensemble (que traduz para conjunto em português) porque ele é realmente uma banda de um homem só, tirando inspiração de diversos gêneros musicais e levando a plateia para territórios que não são explorados com frequência..

Em 2013 o Resident Advisor o convidou para fazer parte dos pequenos documentários que fazem sobre alguns DJs chamado Between the Beats, eles acompanham o DJ na sua vida pessoal e também entre os gigs para mostrar um pouco sobre como é sua vida, de onde ele veio e a pessoa por trás do som. Diferente de muitos outros BtB, o do Motor City Drum Ensemble foi muito sincero, humano e emocionante. Plessow relata sua luta contra a ansiedade, motivo pelo qual deixou de tocar 8-9 gigs por mês para 3-4 no máximo. Ao invés de focar na parte financeira, ele preferiu priorizar seu amor pela música e levar a vivência de DJ com mais calma para que seu som e sua presença na cabine fosse real e honesta.

Quando se escuta o som do Motor City é nítido a ambiguidade do nome, literalmente mecânico, porém com origem tão humana. Danilo Plessow começou jovem e está ativo, tanto na produção quanto tocando, já faz mais de 10 anos, coisa que só se conquista com dedicação, sim, mas acima de tudo um amor tão sincero pela música que fez até com que ele diminuísse o número de gigs, para que pudesse continuar criando e tocando. Para o RA ele fala: “música é viciante, se você entra na música de verdade e por um motivo real, você nunca perde isso, fica com você para sempre.”