5 Projetos que flertam com o Rock e a Eletrônica simultaneamente

Era uma vez um músico que integrava uma banda de Rock que em um belo dia teve uma ideia maluca de trazer um sintetizador para compor os instrumentos do projeto. Deve ter sido algo como “por que não tentar, não é mesmo? Pode ser que saia algo legal”. Mal sabia este ser humano que essa doidera transformaria completamente a história do Rock e influenciaria artistas até hoje. Dizem que foi em meados dos anos 70 e que essa pessoa é o tecladista britânico aclamado Rick Wakeman quando integrava a banda Yes, mas fica difícil determinar isso tão precisamente. 

A questão é que, dos sintetizadores, esse relacionamento entre o Rock e a eletrônica se intensificou de forma expressiva e aí vieram as Drum Machines, Talkbox, efeitos como reverbs, delays, e por aí vai. As possibilidades se tornaram infinitas para as mentes criativas e cá estamos com uma enxurrada de bandas que, cada uma dentro de uma linha diferente do estilo, conquistou e vem conquistando mais e mais o público. Aliás, são esses subgêneros que tem mantido o Rock ativo até hoje, já que atualmente a linha clássica sobrevive majoritariamente das bandas nascidas nos anos 70 e 80.

É claro que esse pezinho (ou pezão mesmo) no mundo da eletrônica rendeu excelentes parcerias entre as bandas e produtores. Clássicos do Rock ecoam até hoje nas pistas de dança através de remixes emblemáticos ou até mesmo em suas versões originais e quando isso acontece é um delírio, convenhamos. Nem gastarei palavras aqui para elencar faixas e mais faixas icônicas e produtores de música eletrônica que souberam criar uma bela versão “clubber”, por assim dizer, de músicas de diversas bandas. Aliás, aposto que se você está acompanhando esse texto já veio alguma na sua mente.

Um micro apanhado histórico e a noção da relevância desse match entre o Rock e o eletrônico e vamos à pauta. Quando surgiu a ideia de listarmos alguns projetos que fazem essa fusão parecia uma missão nível médio, por assim dizer. Acontece que são tantas bandas formidáveis, entre as mais clássicas, recentes e que migram para diversos subgêneros que a missão se tornou dolorosa, juro. A equipe do Alataj trabalhou em conjunto e a lista se tornou bem extensa. Citar todas as lembradas seria injusto, pois certamente estaríamos esquecendo alguma ou até não conhecendo muitas, não é?

Sendo assim, como sempre acontece nesse editorial, listamos cinco delas apenas, mas obviamente rolou aquele bônus básico. E ah, um pedido carinhoso: não fique triste se deixamos alguma banda de fora, ok?

LCD Soundsystem

Começando logo de cara com uma bomba, já que a banda Nova Yorkina de Dance-Rock (como é geralmente denominada) tem uma história impressionante na música, com todos os álbuns de sua carreira aclamados pela crítica e público. O grupo encabeçado por James Murphy deixa os elementos eletrônicos em grande evidência, principalmente através de Drum Machines e Sintetizadores.

The Who

A banda britânica fundada em 1964 trouxe os elementos eletrônicos ao longo de sua estrada e é considerada uma das maiores referências quando falamos em Rock psicodélico e progressivo. Eles também estão entre os pioneiros na introdução dos sintetizadores juntamente às guitarras, baterias e contra baixos. 

Korn

Indo para uma linha um pouco mais obscura está a banda de Nu-Metal californiana Korn, que trabalha um lado alternativo desse estilo mais pesado e é considerada uma das bandas de Metal mais bem sucedidas das últimas décadas. De novo os sintetizadores aparecem, mas se fundem bastante em meio aos demais instrumentos e vocais intensos.

Nine Inch Nails

Um som também intenso que combina instrumentos e processos eletrônicos: a banda americana também chamada de NIN é conhecida por seu caráter sonoro conceitual dentro do Rock Industrial e ainda leva uma forte mensagem com críticas às religiões, ao consumismo e outras temáticas profundas da sociedade.

AIR

Os franceses  Nicolas Godin e Jean-Benoît dão vida à banda que está ativa desde 1994. A sua inclinação é mais para a eletrônica do que para o Rock, ao nosso ver, mas Space Rock e uma pegada nitidamente psicodélica são características do som da dupla e aqui encontramos uma linha sonora bem mais suave.

Bônus |  A gente não resistiu e o bônus veio duplo, mas sinceramente seria um pecado não citar essas duas bandas. Vamos à elas:

Gorillaz 

A banda virtual de quatro personagens animados é uma mistura de Eletrônica, Rock Alternativo, Trip Rock, Dub e muita personalidade. Eles atingiram números gigantes em vendas, indicações, prêmios e até mesmo seu lugar no Guinness. Ainda que o som seja um Rock eletrônico alternativo, eles atingiram a rádio, TV, cinema e caíram nas graças de todos, não importando a preferência de gênero musical.

Depeche Mode

Você achou que ficaria de fora, não é? Óbvio que não! Afinal, Depeche Mode é responsável por clássicos tanto para quem é mais do Rock quanto para quem é super da Eletrônica. A banda é simplesmente top 3 das maiores referências da história nesse estilo e, sinceramente, dispensa muitas palavras. Agora vem aqui, dá o play e canta comigo!

A música conecta.