Vitrola
Vitrola
Vitrola
Vitrola

Vitrola Review | Cassiano – Cuban Soul: 18 Kilates

Se o assunto é Soul, a obra do cantor, guitarrista e compositor Cassiano é um tópico que não pode ficar fora do destaque. Genival Cassiano dos Santos, que infelizmente nos deixou no ano passado, eternizou seu legado na história da música popular brasileira, sobretudo, quando falamos da cultura Black Music. Ao lado de Tim Maia e Hyldon, o artista não só introduziu o ritmo influenciado por Stevie Wonder e Otis Redding, como mesclou o toque genuinamente brasileiro ao estilo, e destilou pérolas imortais ao acervo musical nacional.

Com uma trajetória relativamente curta – devido à complicações de problemas pulmonares, o artista teve que se afastar da indústria fonográfica – porém intensa, Cassiano lançou quatro LPs durante a carreira – além de demais composições junto aos Diagonais e composições para outros artistas – e um deles foi o escolhido para o destaque de hoje, e você logo saberá o porquê. 

Cuban Soul: 18 Kilates é uma verdadeira pedra preciosa do Soul brasileiro. Lançado em 1976, o terceiro álbum do artista marcou a grande virada de sucesso de Cassiano, o que ainda não tinha sido de fato emplacada com os primeiros álbuns Imagem e Som e  Apresentamos Cassiano. Cuban Soul: 18 Kilates veio na sequência de dois singles de sucesso do artista, A Lua e Eu e Coleção, as quais foram trilha sonoras de novelas da globo na época (O Grito e Locomotiva).

O disco em questão, é um grande caldeirão de referências e segundo a opinião de muitos entusiastas, inaugurou um “novo estilo musical” que nada mais era do que uma mistura concentrada de gêneros como a Bossa Nova, o Samba, Soul, Funk e a Disco Music. Cuban Soul: 18 Kilates foi produzido por Paulinho Motoka, velho parceiro de Cassiano, e Gastão Lamounier, e conta com nove faixas – incluindo os sucessos A Lua e Eu e Coleção.

Porém para além dos sucessos já chancelados antes mesmo do lançamento do disco, uma faixa brilha até os dias de hoje, e permanece sendo considerada o maior sucesso de Cassiano até aqui. Onda é uma música perfeitamente funkeada, e apresenta uma viagem psicodélica e multi instrumental ao longo de seus quase 8 minutos de duração. A flutuação do arranjo, remete a uma “ondulação” singular e ultra refrescante, destacando além da voz de Cassiano, as linhas de acordes de Paulinho Motoka.

A mesma faixa ficou ainda mais conhecida pela nova geração, após os Racionais Mc’s utilizarem um sample de Onda, em sua canção  Da Ponte pra Cá. Além disso, a mesma faixa não sai do case dos seletores veteranos, apaixonados por música brasileira.

A música conecta.